18.4.14

purple rain


Hoje descia a rua das flores violeta, cada passada e a incerteza dos dias. O silêncio e todas as árvores a pactuarem com esta angustia que chora como chuva dentro do peito. Sempre que este perfume primaveril aflora a pele há um misto de conforto e nostalgia. E esta primavera revela-se como um espelho talvez cruel talvez verdadeiro da minha alma perdida...

6 comentários:

  1. Andy:

    O quadro, inundado de cor,
    é um momento de inspiração sem limites!

    Chove.
    Gotas caídas formam um pequeno caudal
    que atravessa a imagem
    em toda a sua extensão!

    A beleza das coisas simples reconforta-nos a alma!
    Grande beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Petrus! :-)
      "A beleza das coisas simples reconforta-nos a alma!"
      são essas coisas simples que tantas vezes nos valem como uma carícia ou afago... chuva de flores, perfume ou uma folha caída são o tanto com que nos identificamos e nos serena.
      Beijinho, querido Petrus!

      Eliminar
  2. esta primavera que parece abandonar-nos tem um rosto que acabará por se desvelar, assemelhar-se connosco no espelho dos dias e é na sua própria semelhança que se reconciliará com as flores, com o vento, com os cabelos desprendidos e os olhares perdidos; sobretudo com o coração que um dia pareceu ter esquecido no mais fundo dos bolsos...

    beijos com saudades, amiga!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tão bonito, querido amigo!
      as emoções diluem-se como numa simbiose rítmica com o que nos rodeia, dia após dia...
      beijinho e saudades!

      Eliminar
  3. Andy,
    Violeta é, sobretudo, harmonia...
    (Essa alma anda mesmo agitada)

    Beijo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sempre de alma agitada, com tudo o que isso tem de bom e mau :-)

      beijinho AC, bom rever-te por aqui!

      Eliminar

neblina

o rasto de fumo apagava-se na porta entreaberta e ficava o silêncio da noite e uma ou outra palavra por dizer. O cheiro do cigarro apagado e...