14.4.13

.


A Fonte das Palavras é a exposição de Maria João Worm que decorre na Casa das Histórias Paula Rego.  Em duas salas, apresenta dois momentos distintos de expressividade, ambas assentes na relação da escrita com a palavra.
O conjunto de poemas que dão voz e ambiente, articulando texto e imagem são referentes a poetas “(des)conhecidos”. No limiar da leitura e progressão do olhar, Contemplação, o poema que dá vida ao momento de exterioridade, e Entre os Braços das Senhorinhas, o poema que elege a introspecção, como silêncio e espelho de inquietação.
Na segunda sala, a presença de diálogos sensíveis com um espelho que sobre o ombro colocamos, comunicando com traços escavados em placas de linóleo. Gravuras que tomam forma ou não, no nosso mundo imaginário.   
A Fonte das Palavras,  resulta para mim, nesta procura incessante que une a palavra e a imagem. A envolvência de vitrais com traços ramos de árvores, entrando nessa luz que nos leva à escrita. As caixas fechadas com matéria e texturas por descobrir, em estreita ligação com os poemas infantis que criámos. E a sombra para lá do espelho, a subtil imagem do que sentimos.
Maria João refere-se a este seu trabalho como, “o equilíbrio entre o avesso e o direito” nesta estreita relação com a palavra.

2 comentários:

  1. Suscitaste-me a curiosidade! Apresentação fascinante da Exposição. Tenho que ir lá espreitar!

    beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. vale a pena conhecer! :-)

      beijinho grande, Hugo!

      Eliminar

neblina

o rasto de fumo apagava-se na porta entreaberta e ficava o silêncio da noite e uma ou outra palavra por dizer. O cheiro do cigarro apagado e...