12.2.13

.

deixa a porta aberta...e talvez esta neblina se torne apenas poesia. leva o frio e todas as linhas que o tempo escreveu. deixa-me falar como fala o vento, a sete ventos e num sopro quase tempestade hoje que os meus olhos são luzes que se apagam com um leve estremecer. mergulho no rio dos pensamentos que se alojam no peito numa voz desmaiada que naufraga como barco que perde o rumo e vela ancorada pede por praia e amanhecer de mar calmo. soube tropeçar neste dia e noutros, e fiz das paisagens braços que abraçam e horizontes indecifráveis...alguém sabe a linguagem das nuvens?

8 comentários:

  1. É desconcertante como as tuas palavras se colam umas às outras no pensamento, estando separadas. Há uma fluência (palavra tão feia, desculpa) arrebatadora.

    Eu queria que a vidinha fosse mais simples, mas infelizmente não é! Porra!

    beijinhos! beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. muito obrigada Hugo!
      e "fluência" não é de forma alguma uma palavra feia. costumo até usá-la com frequência :-)
      digo tantas vezes, deixa fluir!
      deixar fluir o pensamento, os dias e a vida...

      beijinho grande!

      Eliminar
  2. parece que o inverno não vai embora nunca...

    e sabendo perceber sabe-se falar?

    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. quase parece que veio para ficar...

      tantas coisas que vivem no silêncio,
      beijinho grande, querida Laura!

      Eliminar

  3. Poesia!
    Como essa neblina que te entrada porta adentro e pousa nesta página.

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. a neblina, do que nos fica e cresce dos dias, com as tonalidades das emoções...
      obrigada
      beijinho, querida amiga!

      Eliminar
  4. há abraços que se aguardam porque tocam horizontes indecifráveis. e mesmo que o tempo que os define seja materialmente impossível, eles estão lá, respiram pelos seus próprios pulmões, porque se fazem essenciais na sua não-matéria. e a porta que permanece aberta!?...

    beijinho, querida amiga de palavra(s)!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. respiro as tuas palavras, querido amigo!

      beijinho enorme!

      Eliminar

neblina

o rasto de fumo apagava-se na porta entreaberta e ficava o silêncio da noite e uma ou outra palavra por dizer. O cheiro do cigarro apagado e...