27.12.12

.

Se pudessem testemunhar o silêncio que tão docemente abraçou a casa e este bocadinho de noite... imperdível para os meus sentidos cansados e alerta. A árvore continua brilhante, este ano plantámos um pinheiro de raízes robustas dentro de um vaso grande e todos os dias desejo que ele se aguente por muito tempo, e possa contar dias e anos. Tenho me sentado ao lado para lhe sentir o doce perfume, e perder-me pelos enfeites simples mas guardando mistérios de criança. A mesa onde escrevo tem tecidos com cores de natal, e felizmente os doces vão terminando. O silêncio continua a iluminar todas as coisas, e deixo-me abafar por essa calma que apenas os candeeiros à media luz partilham comigo. Amanhã será quase dia de recomeços... por isso esperem, só mais um pouco de silêncio!
fotografia de Andy
fotografia de Andy - Rossio

17.12.12

janela de encontro

a noite já caiu, antecipo-a antes de olhar pela janela.
Entre estas quatro paredes, a mesma luz branca e fria. Não há como estes momentos de silêncio para sentir o cabelo soltar-se, arredondar o sorriso dos olhos e ir de encontro a um jardim sem encontro marcado, colher flores do campo e largá-las junto ao peito. Abandonar o corpo e sentir todos os sons das folhas e do chão.
E troco estas imagens pelas paredes brancas, quase sinto o perfume e a hora marcada...

10.12.12

ruas do Funchal

É sobretudo nesta altura do ano que a minha memória viaja oceano fora e mergulho nas ruas do Funchal. As noites da cidade por esta altura enchem-se de natal e respiram um aconchego de cheiros, cores e sabores, que jamais esquecerei. Na avenida, desde a igreja da Sé, passando pelo café relógio, até ao teatro municipal, há música ambiente que embala os passos de quem passa. As árvores parecem pequenos tesouros guarnecidos de luzes que brilham para lá do que se vê, há presépios vivos e flores a perfumarem a noite. As vozes das pessoas confundem-se com um fervilhar interior, indecifrável mas em plena consonância com a aura envolvente. O mar calmo assiste deslumbrado, banhado de luzes de barcos que vão chegando, parece a continuação de um céu redondo e cheio de brilhos, pequenas purpurinas líquidas, intocáveis, fazendo lembrar os sonhos de criança.
http://www.youtube.com/watch?v=z4PKzz81m5c