20.7.12

.

fotografia de Jan Saudek

deito-me na agitação do vento
e entrego tudo
o dia, a noite
nem o vento se agita tanto...
mas há sempre o corpo-silêncio

remoinhos, tempestades
ficar imóvel e arder por dentro

4 comentários:

  1. porque há uma parte de nós que é matéria à espera de arder...

    beijinho, querida amiga!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mais do que uma simples sensação...

      beijinho grande, amigo!

      Eliminar
  2. ai Andy, como me sinto assim:
    às vezes quero partir e fico
    outras quero ficar e parto

    mas seja qual for o caminho fico sempre indecisa

    mas vou, vou sempre

    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. costumo dizer que sou a pessoa mais indecisa do mundo :-)

      e nessa indecisão...

      beijo, querida Laura!

      Eliminar

neblina

o rasto de fumo apagava-se na porta entreaberta e ficava o silêncio da noite e uma ou outra palavra por dizer. O cheiro do cigarro apagado e...