27.5.12

mar de silencio

fotografia de Andy 

queria uma janela voltada para o mar e ler o pôr-do-sol nas entrelinhas, já que há sempre um ir para voltar se nos apetecer...deixar a alma acariciar uma parte do fim, e saber se ainda a tempo poderei voltar...
queria perceber se me falta tinta ou sangue de que são feitas as letras que nascem de uma canção com vista para o mar. Já não pego na caneta, o movimento desfaz-se antes da sua sombra. Não me sento para escrever, deixo o corpo escorregar no cansaço e as letras fundem-se antes mesmo de as decifrar.
Já não tenho lamparina e o caminho parece-me outro... Quantas vezes gritei silêncios em parágrafos, e estes em mim...eu era isso e isso em mim. Poderia ser pele, roupa que aconchega e desabafa...
Não sei se há sempre um voltar. Sei que hoje imaginei o mar de outros dias...deixei uma lamparina acesa para o caso...

10 comentários:

  1. Andy,
    mergulhar num mar assim e naufragar...
    e por outro lado aprender a nadar e regressar, para casa...

    beijo
    [a tua fotografia tem umas tonalidades únicas]

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. há braçadas que não sabemos ou desaprendemos...
      e há regressos que parecem águas-tempestade (a escrita um deles)

      obrigada, querida Laura!
      beijo

      Eliminar
  2. Há momentos de de deslumbramento, há momentos de incerteza...
    Tão bom ler-te, Andy!

    Beijo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. verdade, não fosse a neblina das incertezas, não haveria deslumbramento quando o sol raiasse...

      muito obrigada, AC! :-)
      beijinho

      Eliminar
  3. Queria planar sobre esse mar lindo!

    ResponderEliminar
  4. Andy,

    O mar!
    Confessamos-lhe, com palavras tão bonitas, as desventuras.
    E ele nada nos diz.
    Só o profundo silêncio chega…
    protector!
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é verdade Petrus, só o seu silencio nos enche a alma!
      :-) um grande beijinho
      obrigada!

      Eliminar
  5. sobre lamparinas, luzes, janelas e mares de braço dado com pôres-do-sol: "there is a light that never goes out" - the smiths.
    http://www.youtube.com/watch?v=DRtW1MAZ32M

    beijinho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. fiquei a ouvir "there is a light that never goes out"... :-)
      se até há pôres-do-sol que nos ficam na memoria.

      beijinho!

      Eliminar