8.12.11



o homem que todos os dias fica no fim da rua com vista para a hora em que o sol se põe, e já a cor do dia parece bafejada por cortinados de vento que quebram toda a luz, o seu olhar proclama por um brilho invisível no sentido oposto à restea de sol que não me larga. Longe, e não intencionalmente, parece esperar o nascer de outro dia. Passo por ele, e é curioso como todos os olhares que fixam o aparente nada, conseguem abarcar o todo. E naquele cigarro aceso e a cada sopro, a espera de todos os dias...

10 comentários:

  1. Andy,

    Outro belo poema.
    O segredo da vida
    está na forma como se olha o mundo á nossa volta,
    a cada hora que passa,
    sem receios.
    A leitura do poema transmite uma supreendente serenidade no espírito,
    que apetece ficar!
    Releio-o e fico a pensar nele
    enquanto ouço a inspiradora música de fundo.
    Lindo!

    Bom fim de semana
    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. A persistência de uma espera com a certeza que um novo amanhã virá... se chegar a vir!

    ResponderEliminar
  3. Vim retribuir a visitinha querida Andy, e essa foto, nossa!! Fiquei inerte por momentos, a pensar o que ela me remetia... E teu escrito?

    "Passo por ele, e é curioso como todos os olhares que fixam o aparente nada, conseguem abarcar o todo. E naquele cigarro aceso e a cada sopro, a espera de todos os dias..."

    A espera, o carma bom! Do poeta ao menos...

    Deixo um beijo, com sorriso.

    ResponderEliminar
  4. "O segredo da vida
    está na forma como se olha o mundo á nossa volta,
    a cada hora que passa,
    sem receios."

    Petrus,
    acredito nesse segredo, parecendo simples fazê-lo, não lhe tiro a dificuldade que tantas vezes assombra um pequeno olhar...
    obrigada pelas palavras sempre inspiradoras.
    beijinho
    e bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  5. mfc,
    vem sempre!
    temos de acreditar...

    beijinho e bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  6. Márcia,
    fixei-me na fotografia logo que a vi no google, é linda, leva-nos longe...
    obrigada querida Márcia,
    pelas palavras e sorriso!
    beijinhos

    ResponderEliminar
  7. em cada homem, uma rua, um entardecer e passos perdidos.
    beijinho, querida amiga!
    p.s. a imagem é um arrepio total! conheces a autoria?

    ResponderEliminar
  8. Jorge,
    e em cada entardecer um novo sentir...
    beijinho grande, amigo!
    p.s. a imagem não tinha autor, ainda voltei ao google, mas não... :-(

    ResponderEliminar
  9. pois é! o autor que desconheço está de parabéns!

    feliz natal, Miguel!

    ResponderEliminar

neblina

o rasto de fumo apagava-se na porta entreaberta e ficava o silêncio da noite e uma ou outra palavra por dizer. O cheiro do cigarro apagado e...