13.12.11

ácido

a única folha de papel
e o branco a engolir as palavras
os dedos a escorregarem entre os gestos
a voz a se fechar em flor
e enquanto desvendo a janela
e mordo o fruto
as palavras apagam-se no suco
que se derrama por dentro.

2 comentários:

  1. e a boca coberta de uma brisa que desflora todas as primaveras, até as da escrita... mesmo que nas mãos geladas deste inverno.
    beijinho, querida amiga!

    ResponderEliminar
  2. porque há sempre uma primavera a florir num canto dos lábios...
    beijo grande, amigo!

    ResponderEliminar