5.10.11

anoitecer de outono

berenika
.

tenho parado junto do baloiçar das árvores com a certeza que o silêncio da escrita um dia acontecerá. Haverá o dia em que as palavras se tornarão desbotadas, diluídas no próprio coração de uma janela de outono.

12 comentários:

  1. Andy,
    Talvez nessa altura nos tornemos livro aberto, dando descanso às palavras...

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  2. Andy

    Um dia, não precisaremos de acrescentar mais nada ao baloiçar das árvores, porque tudo o que queremos escrever, elas já o fizeram no silêncio.

    Um beijinho grande, amiga

    ResponderEliminar
  3. Um dia tudo (não) acontecerá... mas ainda são tempos de sorrir com a tua escrita!

    ResponderEliminar
  4. AC,
    belíssima imagem a das tuas palavras!
    até porque tantas vezes sinto essa mesma (im)possibilidade...dar descanso às palavras.

    Beijinho :-)!

    ResponderEliminar
  5. Maria João,
    e de que forma grandiosa o sabem fazer...
    esse silêncio tentador fica-me numa miragem vaga...

    Beijo grande, amiga!

    p.s. quantas vezes sinto que as minhas palavras já nada alcançam, apenas ficarei a saborear esse misterioso baloiçar.

    ResponderEliminar
  6. mfc,
    um Abraço pelo sorriso das tuas palavras!
    Obrigada! :-)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  7. voz outonal embalada pela queda das folhas de berenika. ai, o dia em que as palavras se despeçam da voz, desbotando a sintaxe e amarrando os sentidos com braços de gente. será isso a existência em estado puro?
    beijinho, querida amiga!

    ResponderEliminar
  8. Jorge,
    situação difícil, em todo o caso, talvez não impossível... mas, ainda assim, fico-me cheia de interrogações! :-)

    beijinho grande,
    querido amigo!

    p.s. quanto a Berenika, foi no viagens que conheci alguns dos seus trabalhos :-)

    ResponderEliminar
  9. Por vezes dou uma folga ás palavras, fico-me pelos silêncios, fazem-me falta.
    Bjs

    ResponderEliminar
  10. Lilá(s),
    elas precisam, e nós também!

    Beijo :-)

    ResponderEliminar
  11. Andy
    As palavras escritas, ou ditas, nunca morrem, há sempre um eco de eternidade. Sossega! Escreve...

    ResponderEliminar
  12. Miguel,
    tenho estas fases...(e não são faceis)
    A palavra "sossega!" teve um efeito muito positivo, acredita :-)!

    obrigada pelas tuas palavras e presença
    Abraço!

    ResponderEliminar