12.7.11

hoje fiquei a escrever no silêncio ao contrário de tantas vezes...e quanto mais no silêncio me deixassem mais eu talvez escrevesse. Se as palavras se soltassem hoje, seriam um emaranhado de novelos de lã coloridos que desbotavam as suas próprias cores. Faltam 15 minutos para a hora em que tudo deveria estar pronto e arranjado, e nada parece assim...
Sei bem que há um silêncio azul denso que me adormece o bater rápido do coração, que às vezes não consigo conter de tão rápido, e é mais do que consigo suportar, como se saísse do peito e me cansasse e se cansasse de mim.
Parti uma fatia de bolo, olhei-a cheia de esperança porque há sempre qualquer coisa que serena.

4 comentários:

  1. Uma fatia de bolo é melhor que um Xanax!

    ResponderEliminar
  2. mfc,
    pois...desejamos que sim.

    :-) beijinho

    ResponderEliminar
  3. E não são essas as cores que aquecem?
    Aquelas em que os novelos do silêncio se misturam com o aroma doce que levedou para saciar?

    Lindo e cristalino. Água pura de beber, tão simplesmente!

    Beijinho, amiga

    ResponderEliminar
  4. Querida amiga,
    são na verdade essas mesmas cores que aquecem e tornam a vida menos cinzenta, tomara saber lidar com elas da melhor forma :-) sei que um dia vou conseguir!

    cristalinas, são as tuas palavras, Maria João!
    Beijinhos

    ResponderEliminar