22.6.11

luz

os miúdos rebentam balões coloridos e gargalhadas no meio da sala que já espera a noite cerrada, enquanto o céu pardo ainda faz promessas com uma réstia de sol presa a um pedaço de nuvens que me adormece as memórias e me eleva ao presente. E ainda que o sossego fosse a respiração desejada, acredito no som sonoro que habita todas as paredes da casa e deixo-me ficar na turbulência dos momentos. E se ainda existir rasgos iluminados de certezas ou incertezas, continuarei a desvendar os dias, como se a descoberta fosse a luz de todas as razões para continuar aqui. Eles continuam a sorrir, tenho de ir.

8 comentários:

  1. "E ainda que o sossego fosse a respiração desejada, acredito no som sonoro que habita todas as paredes da casa e deixo-me ficar na turbulência dos momentos."
    A compreensão das coisas, temperada em sons e aromas, dá-nos sempre lastro para a harmonização da realidade envolvente...

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  2. Temos esse dever, sim!
    O dever de fruirmos intensamente cada dia... cada hora!

    ResponderEliminar
  3. Andy


    Sempre que leio alguma coisa tenho de me surpreender para a achar de qualidade. Se eu lhe disser que reli o texto três vezes, a resposta está dada. Tem uma prosa soalheira como línguas de fogo.

    ResponderEliminar
  4. há quem diga que antes do universo já havia o som. sempre que este se materializa nas brincadeiras, gargalhadas e inocência das crianças, tendo a crer que é a mais pura verdade.
    um beijinho!

    ResponderEliminar
  5. AC,
    verdade, e tem de ser! :-) uma forma de resistência...

    Beijinho!

    p.s. tenho ido ao teu belo "INTERIORIDADES", mas tem me falatado as palavras, aliás até me têm faltado para escrever aqui...

    ResponderEliminar
  6. mfc,
    nem sempre se consegue, mas é um desafio largamente compensador quando atingido...

    Beijinho!

    ResponderEliminar
  7. Ibel,
    luminosas foram as suas palavras, sobretudo quando as palavras se encolhem na sombra do que consigo escrever. Às vezes penso terminar este canto...

    Obrigada
    beijinho cheio de sol!

    ResponderEliminar
  8. Jorge,
    concordo verdadeiramente contigo!
    É pura melodia as coisas de crianças...

    Beijinho grande!

    ResponderEliminar

neblina

o rasto de fumo apagava-se na porta entreaberta e ficava o silêncio da noite e uma ou outra palavra por dizer. O cheiro do cigarro apagado e...