10.6.11


fiquei então à escuta porque já rouca de silêncio
resta-me inquietar com o pulsar das raízes sob o meu corpo
com o magma que corre como fogo nas veias que ardem

8 comentários:

  1. Enquanto "o magma correr como fogo nas veias que ardem" há vida nesse pulsar...
    Beijo.

    ResponderEliminar
  2. Nilson,
    muito bem vindo :-)

    que essse pulsar nunca se apague no limiar dos dias...

    Beijo

    ResponderEliminar
  3. Sentirmo-nos...
    É preciso... é importante!

    ResponderEliminar
  4. Andy
    Um presente de que vais gostar: "Olhos molhados" de António Pinho Vargas

    http://www.youtube.com/watch?v=yadIoB54iG4&feature=player_embedded

    ResponderEliminar
  5. mfc,
    inteiramente de acordo! vital até, diria...

    beijinho

    ResponderEliminar
  6. Miguel,
    e gostei muito do presente! :-))

    um grande beijinho

    ResponderEliminar
  7. Há sempre tantos silêncios á espera de serem lava.

    Um beijinho muito grande minha querida amiga!

    ResponderEliminar

neblina

o rasto de fumo apagava-se na porta entreaberta e ficava o silêncio da noite e uma ou outra palavra por dizer. O cheiro do cigarro apagado e...