27.3.11

o quanto precisava do silêncio das árvores...

14 comentários:

  1. Imagem belíssima, legenda a condizer...

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  2. Andy:
    adorei esta fotografia, há sempre um arvore a quem nos podemos agarrar, musgo com que nos podemos cobrir!
    Beijo
    Laura

    ResponderEliminar
  3. Uma foto perfeita de sentido... e linda!

    ResponderEliminar
  4. AC,
    há imagens que transmitem exactamente o que se quer dizer!

    Obrigada!
    Beijo :-)

    ResponderEliminar
  5. Laura,
    :-) verdade!
    adorei a tua frase :-)

    Beijos!

    ResponderEliminar
  6. mfc,
    a "força" de um abraço no que tanto tem uma árvore...

    Obg :-)
    Bjinho!

    ResponderEliminar
  7. como o singelo pode ser perfeito!
    beijo, amiga!

    ResponderEliminar
  8. Jorge,
    como só a natureza o faz...(perfeito)
    :-) obg!
    beijinho grande, amigo!

    ResponderEliminar
  9. ... tanto quanto da sua seiva a revovar vida no seu peito...

    Esta é uma belíssima construção poética em que a imagem diz o mais que as palavras nunca conseguem.

    Um beijinho minha amiga

    ResponderEliminar
  10. Maria João,
    o complemento perfeito... :-)

    Obrigada, querida amiga!
    Beijos

    ResponderEliminar
  11. Lilá(s),
    faz tanta falta...

    Beijinho grande :-)

    ResponderEliminar
  12. A imagem e as palavras prendem mesmo...
    Passei pela primeira vez e senti que deveria manifestar, pela palavra, o regozijo por tão rico quadro!

    ResponderEliminar
  13. Petrus Monte Real,
    muito obrigada pela passagem mas sobretudo pelas suas palavras!

    :-) volte sempre

    ResponderEliminar

neblina

o rasto de fumo apagava-se na porta entreaberta e ficava o silêncio da noite e uma ou outra palavra por dizer. O cheiro do cigarro apagado e...