9.2.11

maças do rosto

Há coisas que não se consegue partilhar, mesmo que já tenhas suspirado vezes sem conta, que já tenhas metido as mãos aos bolsos num movimento de disfarce, que os olhos ainda brilhem mas enfim, apenas porque é dia... não adianta, as coisas moram caladas na direcção do umbigo e formam um desgosto ascendente que te cerca as palavras. E não adianta matar a sensação com o segundo chocolate negro da semana, ou disfarçar até com uma cebola que cortas afincadamente e naquele momento tanto jeito te dá...
Mas há momentos que os olhos ainda te sorriem e o coração transborda e parece que te reconheces como se os dedos ainda sentissem os contornos da alma e pintassem as maças do rosto, de alegria. E sim, as árvores já florescem e ainda te comoves... e sentes então, que talvez haja uma esperança para os dias anoitecidos, aqueles em que o sol parece não brilhar.

6 comentários:

  1. se não houvesse esses dias assim, essa sensação que se tenta matar com chocolate negro, esse desgosto ascendente que te cerca as palavras, olhos alagados ficticiamente pelo picar da cebola, de certeza que depois não valorizarias, as árvores a florescer, os pássaros a pipilar, o sol a nascer, alto ou a ir-se embora, enquanto abraça mansamente a noite...
    infelizmente temos que conhecer o menos bom para valorizarmos o bom.
    _________valha-nos a Esperança, esse nome feminino que tem o condão de nos fazer sair do entorpecimento da dor, que tudo aquilo que nos magoa causa.

    desejo-te dias luminosos.
    brilhantes de sol
    e
    cheios de calor humano.___________________
    beijo doce, docinho

    ResponderEliminar
  2. a cebola e o chocolate...
    nunca me tinha dado conta de como dois nomes, duas realidades tão prosaicas, do quotidiano do mais normal dos seres, possam tão bem reproduzir, por via da generalização, tanto das dicotomias em que assenta todo o edifício do homem...
    beijinho, amiga!

    ResponderEliminar
  3. Andy

    "Há coisas que não se conseguem partilhar"

    e no entanto...

    é tão fácil saber delas, identico contorno.
    Minha amiga, a cor cinzenta é sempre qualquer coisa entre o preto e o branco e o sol, o astro maior que transforma o mundo na diversidade de cores e dias.
    Ah!... e há ainda as árvores a florir e depois das flores, crescerão as maçãs que darão calor e cor ao teu rosto!

    Um beijinho muito grande

    ResponderEliminar
  4. Em@,
    secretamente há artérias que me ligam às árvores que florescem e ao sol que me aquece, oxalá nunca sequem, deixo o sangue fluir...

    Obg pela tua luminosa reflexão,
    beijo "dolcíssimo" :-)

    ResponderEliminar
  5. Jorge,
    a lágrima e o sorriso
    a cebola e o chocolate - e o meu tanto ou quanto de loucura no expressar pelas palavras.
    ainda assim os "demónios" não saem...

    Obg amigo!
    Beijinho grande

    ResponderEliminar
  6. Maria João,
    há coisas que só os contornos ficam, nas palavras escritas ou no desenho... fica apenas o sopro do vendaval. mesmo assim, é como dizes é tão fácil saber delas.

    Beijo grande amiga!

    ResponderEliminar

neblina

o rasto de fumo apagava-se na porta entreaberta e ficava o silêncio da noite e uma ou outra palavra por dizer. O cheiro do cigarro apagado e...