5.1.11

rosas


_ eram rosas!
_ como? se meras palavras eram...
_ não vês? no canto dos lábios em flor, soletradas no silêncio das pétalas quando nascem.
_ palavras de chuva?
_ não, encontrei-as no sol que pinta o meio dos lábios.
_ no sol?
_ ... que há-de brilhar todos os dias!
_ ... o quanto chove todos os dias!
_ atrás de cada gota haverá sempre um raio de sol e
as rosas desabrocham na água que caminha rente às arestas do coração.

12 comentários:

  1. Lindo e poético este diálogo entre alguem que conhece as rosas e que sabe que elas abrirão depois da chuva!
    Beijos
    Graça

    ResponderEliminar
  2. Andy,
    vim atraída pelas rosas.
    E que encanto teu texto, poético, belo!
    "... as rosas desabrocham na água que caminha rente às arestas do coração"
    Amei, querida, lindo post!
    Beijos n'alma

    ResponderEliminar
  3. que imagem linda...o texto também.

    ResponderEliminar
  4. diálogos poéticos. rosas, poesia e uma voz afinada são concerto garantido. a plateia aplaude rendida!
    um beijinho, amiga-flor!

    ResponderEliminar
  5. Andy

    Há sempre um raio de sol por detrás de uma gota.. assim ela seja transparente para que a luz a trespasse e das palavras, brotem rosas.. vida iluminada de esperança!

    Um beijinho minha amiga

    ResponderEliminar
  6. Graça,
    as manifestações da vida!
    um grande beijinho com saudades

    ResponderEliminar
  7. Izabel,
    obg pelas suas carinhosas palavras.
    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  8. HSLO,
    obg :-)
    beijinho e óptimo fim-de-semana!

    ResponderEliminar
  9. Jorge,
    aqui fica uma vénia às tuas palavras :-)
    beijinho, amigo.

    ResponderEliminar
  10. Maria João,
    faço minhas as tuas palavras...
    :-)
    beijinho querida amiga!

    ResponderEliminar
  11. adoro tudo, desde a escolha da imagem à simplicidade do diálogo mais bonito de Janeiro de 2011 ;)

    ResponderEliminar
  12. Rach,
    :-) obg!
    e um grande beijinho para ti

    ResponderEliminar