13.12.10

dias de quase natal

Os dias têm me parecido longos para além de frios... sim, falta-me tempo para uma infinidade de coisas, mas talvez gostaria que fossem mais breves em determinadas fases.
O momento ansiado acaba por ser aquele em que me entrego num abraço desmesurado e de pura ilusão, à noite. Desejando sofregamente que esta seja tão longa quanto o dia.
Ainda me lembro quando a noite era o medo das coisas mais temidas, quando até um frio no estômago me nascia em saber que já anoitecia. E não sei se me faltaram histórias de embalar, mas lembro-me bem da casa de infância, durante a noite quase paredes meias com o quintal do vizinho, as gatas com cio gritarem noite fora... e tal efeito eclodir fortemente na porta dos sonhos e só me arrancar pesadelos ao coração.
Hoje a noite tem este feitiço de tanto a desejar, ou para me adormecer do cansaço, ou para deixar-me levar pelas palavras que escrevo.
E não sendo pesadelo, o frio tem tomado conta de nós e os vírus estão invencíveis nesta casa, esta é uma dura realidade.
E talvez este natal venha a ser o mais recatado de todos, embrulhados em mantas, com os sapatinhos na lareira à espera que a noite de mistério traga aconchegos também à alma. E ver os sorrisos das crianças se possível menos congestionados e com uma esperança de que o bom tempo também virá.
A árvore brilha perfeita ao canto da sala e talvez nunca tenhamos tido uma tão bonita como este ano. O presépio foi feito em barro, pelas crianças também, ninguém se parece com ninguém, nem as ovelhas parecem ovelhas, nem S. José se parece com ele próprio, mas conseguimos dar "vida" às imagens que também vivem dentro de nós.
Deixei por fim no manto branco, estrelas quase purpurinas, e fiz para os anjos uma auréola de brilhantes. E no meio de um musgo perdido, ali está o que se assemelha com um muito modesto presépio de natal.

10 comentários:

  1. Bom dia Andy !!

    Tenho saudades desse friozinho na barriga :)

    As melhores para todos ... XÔ XÔ virus ...tb com estas diferenças de temperatura não é para admirar .

    Deve estar o máximo o teu presépio :) :)

    Beijinhos e bom dia para ti e descansa

    ResponderEliminar
  2. olá, amiga,
    haverá presépio mais bonito do que este que deixas escorrer pelas nascentes da alma? tocante, no mínimo!
    um beijinho com neve na voz!

    ResponderEliminar
  3. Blue,
    obg pelo teu "bom dia" :-)!
    estes vírus são do pior! se soubesse destruia-lhes o ADN, como se lhes arrancasse os olhos e tornava-os cadáveres (isto é só um cruel desabafo do tão pouco que os estimo!)

    Bem, o presépio está... nem sei! :-) :-)
    Beijinho Blue

    ResponderEliminar
  4. Olá Jorge!
    sabes que passou por várias fases, o momento de contentamento e a sensação plena de que seria possível (o início), depois a percepção de que não seria tal e qual como tinha imaginado, e por fim o caos...!
    Bem mas, valeu a pena :-)
    Beijinho amigo!

    ResponderEliminar
  5. Andy,
    1º desejo que as viroses ganhem asas e voem muito depressa para bem longe dos teus meninos.
    2º gosto muito de te ler a descrever o quotidiano com a dose de poesia e afecto que lhe pões.
    3º há muitos anos já que esta fase me deprime. todos os anos prometo a mim mesma fugir para um sítio onde me resguarde desta fase. quando comecei a perder pessoas queridas , entre elas o meu pai e o meu 1º sobrinho, a magia foi-se.
    o meu filho nunca ligou muito ao natal porque fazemos com que o Natal, para nós, seja todos os dias. sendo assim...
    4º imagino o presépio e acho que deve estar uma delícia. que tal uma fotografia?
    beijo doce para ti e teus meninos.

    ResponderEliminar
  6. Lindíssimo texto. Parabéns!

    Obrigada pela visita ao onzepalavras e pelo comentário generoso.

    Beijos, Ana

    ResponderEliminar
  7. Andy

    Quase Natal, e o aconchego dos dias à espera dessa noite, que se não for tão mágica aos nossos olhos,como outrora, continua a sê-lo no prolongamento deles, brilho no coração dos nossos filhos.

    Quando uma árvore de Natal, tem as nossas representações.. é só nossa. Não há outra igual, mesmo que nínguém se pareça com nínguém... porque efectivamente assim é. Uma árvore assim, é sempre a mais bonita do mundo inteiro!

    Um beijinho terno e amigo
    ( As melhoras de todos )

    ResponderEliminar
  8. Em@,
    oxalá voem mesmo!

    Entendo o que falas e sentes nesta fase, muitas pessoas relatam um pouco desse sentimento, sobretudo quando pessoas muito significativas já partiram, como no teu caso, ou por outro lado, quando a solidão vivida se torna ainda mais pesada nesta altura.
    A vida está em constante mudança e as coisas fluem mesmo sem querermos ou sem darmos por isso. Quem sabe um dia próximo as sensações ganham um outro colorido nesta fase, que por enquanto é ainda muito delicada. Acredita Em@!
    E sim, todos os dias podem ser natal :-)

    Eu pensei em tirar fotografias ao presépio mas depois logo pensei que talvez não fosse a melhor das ideias, dado o acabamento final, mas quem sabe... :-)

    Obg Em@ e grande beijinho!

    ResponderEliminar
  9. Ana,
    obg igualmente pela sua visita :-) e pelas suas palavras de incentivo.
    Foi um prazer visitar o onzepalavras.

    Beijinho!

    ResponderEliminar
  10. Maria João!
    sem dúvida que o natal se torna tão especial sobretudo pelo deslumbramento dos nossos filhos, que de corpo e alma se entregam, e nos envolvem de uma forma tão única!

    Obg amiga pela tua sempre, tão carinhosa presença.
    Beijos!

    ResponderEliminar