6.10.10

.


Gostei do filme. Adorei a parte de Itália, as comidas, as ruas, a língua. Na Índia a parte de introspecção. Gostei muito das paisagens de Bali, e o derradeiro final. Baseado no best-seller autobiográfico de Elizabeth Gilbert, Comer, Orar, Amar, um filme para descontrair, reflectir e viajar.

8 comentários:

  1. Vamos lá ver se é este fim de semana que consigo vê-lo!

    Beijinho Andy

    ResponderEliminar
  2. Olá Maria João :-)
    É um filme a não perder. Depois diz se gostaste, tenho quase a certeza que sim.

    Beijinho grande!

    ResponderEliminar
  3. Andy,
    eu li o livro há algum tempo. não gosto de ver filmes depois de ler os livros...fico-me pelo livro!
    beijo

    ResponderEliminar
  4. Eu percebo Em@, tira um bocadinho a expectativa do que vem a seguir...
    acho que desta vez também senti isso.
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  5. Fui ver no passado fim-de-semana e tive uma agradável surpresa... Confesso que tinha um preconceito infundado e motivado pela capa/pelo título do livro... aquilo cheirava a auto-ajuda... E afinal, não deixando de ser uma forma subtil e indirecta de auto-ajuda, é uma narrativa autobiográfica muito bonita.
    O filme convenceu-me em todos os aspectos, sendo que os locais onde decorre a acção me encantaram - mesmo a loucura do tráfego na Índia! ;)
    Valeu a pena ver o filme e tenho a certeza que vai valer a pena ler o livro também!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. tenho andado tão arredio dos serões com um bom filme na tela do cinema... até porque acabo de arranjar dois filmaços, em dvd, que quero rever: o retrato de dorian gray e o barão vermelho.
    um beijinho, querida amiga!
    p.s. o circum-viagem não renasceu; permanece junto ao cais, a vogar ao sabor das águas que tenham a curiosidade de lhe tocar no casco.

    ResponderEliminar
  7. Anna, é de facto muito bonito e saímos do filme bem dispostos.
    A gargalhada de Julia Roberts também continua inigualável.
    Obg por dares o teu contributo sobre o filme, foi importante.
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  8. Jorge, a ida ao cinema continua a ter aquela magia de expectativa, um pouco de deslumbramento, talvez.
    vou tomar nota das tuas referências.
    p.s. fizeste muito bem deixar o circum-viagem possível de leitura, é sempre bom recordar e para quem nunca tenha lido, conhecê-lo.
    Beijinho amigo!

    ResponderEliminar