24.10.10

.

ARTE-TERAPIA
Hoje estive presente numa “viagem” muito enriquecedora que gostaria de partilhar, não sei se da melhor forma, porque as palavras me têm faltado, mas ainda assim, e porque sinto esta experiência como uma verdade enorme, como ser humano acima de tudo, e por último como profissional. E digo, acima de tudo como ser humano, porque para defendermos a verdade de algo, temos de a sentir na pele , como uma vivência absoluta e verdadeira. Desde sempre que a arte é para mim, um refúgio e um encontro com as minhas próprias palavras mais silenciadas, um momento em que solto as “amarras” e “grito” ou canto...
Digamos que passar pela vida na superficialidade dos dias, não nos é suficiente, não nos chega, e talvez a possibilidade de ir até ao cerne de todas as coisas, nos traga algum colorido e alguma clarividência, aos dias e às sensações a preto e branco.
Hoje estive no XI Congresso Português de Arte Terapia – Artes Integradas em Terapia e Educação, realizado pela Sociedade Portuguesa de Arte – Terapia (SPAT). Talvez já muitas pessoas conhecerão esta sociedade e a sua forma de intervenção, para mim foi a primeira experiência.
Este congresso assenta sobretudo na partilha de vários projectos realizados por diversos profissionais nas mais vastíssimas áreas, desde educadores, professores, psicólogos, médicos, enfermeiros, etc. Para além da sua formação de base, são arte-terapeutas, e têm a arte como mediador de intervenção para a terapia e a educação.
A arte enquanto terapia e vista do ponto de vista holístico, com o acreditar de que todo o ser humano tem em si a a capacidade de criar, expressar-se e comunicar recorrendo a uma das possibilidades: artes visuais, drama, desenho, pintura, escrita, poesia, música, canto, tabuleiros de areia, escrita na pintura...
Os testemunhos dos profissionais foram muito eloquentes, na medida em que foram reais e lhes passaram pelas mãos e coração.
Estive e estarei de novo amanhã, receptiva a me deslumbrar, com a capacidade desconcertante que é a terapia pela arte.

13 comentários:

  1. Tenho uma ligeira experiencia do que isso é...mas quero aperfeiçoar mais, muito mais...
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Andy

    Parece-me muito interessante, li com atenção o relato dessa tua experiência e como estou curiosa para saber mais, aguardo as sensações deste segundo dia.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  3. Fantástico! Tens um capacidade de síntese muito boa! Aqui fica uma palavra de incentivo à arte. Como já sabes, tudo na minha vida é arte, a Música é uma das maiores formas artísticas com capacidades de moldar seres humanos. Dispõe sempre que precisares! Um beijinho *

    ResponderEliminar
  4. Andy
    Se eu já sou arrevesado e sou um profissional amante da arte (várias) imagina como eu seria se ela não fizesse parte de mim. Mas, o acto criativo (e de encomenda) é muito doloroso no parto, embora compensador após.
    Não tenho muita informação sobre o tema e espero pelo relatório.

    ResponderEliminar
  5. o mais extraordinário é o testemunho que focaliza a formação contínua como efectivo crescimento e não apenas como cumprimento de requisitos indispensáveis, burocraticamente, numa profissão.
    um beijinho, amiga!

    ResponderEliminar
  6. Lilá(s),
    sinto exactamente o mesmo :-)!
    Gostaria de aprender e conhecer cada vez mais sobre a arte-terapia.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  7. Maria João,
    quero partilhar mais, mas nem sei por onde começar... :-)
    Obg Amiga!

    ResponderEliminar
  8. AEC,
    a música... impossível viver sem ela!
    Obg :-)
    beijinho

    ResponderEliminar
  9. Miguel,
    um processo criativo passa realmente por várias fases, até a de sofrimento como dizes, mas há sempre uma grande recompensa, como se fosse uma lavagem da alma (assim o sinto).
    Beijinho

    ResponderEliminar
  10. Jorge, e não imaginas como foi tão gratificante ouvir tantos profissionais testemunharem com uma dedicação tal, como já não via há tanto tempo.
    Beijinho amigo!

    ResponderEliminar
  11. Andy,
    foi por isso que nasceu o Em@...
    beijo

    ResponderEliminar
  12. Em@,
    no fundo como todos os blogues, mesmo inconscientemente têm um propósito quase terapêutico para os seus próprios autores. Apesar de que os teus belos desenhos e pinturas têm um cariz também artístico, e a arte-terapia dá lugar a todos aqueles que não sabendo desenhar, se possam expressar através do traço, ainda que disforme, irregular ou inestético, são um sentimento falado sem palavras,
    e é tão bom desenhar livremente :-)
    Beijinho!

    ResponderEliminar