30.8.10

a noite caiu finalmente... doce sossego!
Hoje as palavras têm o sabor a bolo de limão e canela.
Não ficou perfeito, reconheço... raios parta os limões traiçoeiros!
O momento especial de ilusória felicidade, esse ninguém mo tirou. Quando se começa a sentir o cheiro a crescer pela casa e que culmina com a retirada do bolo do forno e os olhos a brilhar de apreensão. Tudo é perfeito até o momento de o partir, depois... uma carta fechada.
Os doces são uma verdadeira fraqueza, a certeza da minha verdadeira fragilidade.
Isabel Allende, refere em Afrodite que “As sobremesas são para a mesa o que os concertos barrocos são para a música: uma arte delicada”. Concordo. Digamos que sou uma verdadeira apreciadora de arte.
Este fim-de-semana cometi mais um dos meus pecados terrestres, comprei dois passarinhos e escolhi a mais bela gaiola, coloquei-a junto à janela da cozinha, no recanto mais perfeito. Estiveram todo o dia felizes, já dormem e de qualquer maneira estavam presos na loja...
Da janela, a avenida está calma, corre um vento suave e morno, o céu está estrelado. A janela do prédio em frente já está acesa, a mesma luz que não se apaga e perdura toda a noite, sejam que horas eu me levante.

8 comentários:

  1. Chega-se ao final do texto e fica-se com uma sensação de calma e tranquilidade, como se tudo estivesse no seu devido lugar...
    Só falta mesmo, para que tudo esteja perfeito, trincar uma fatia de bolo. :)

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  2. E sente-se uma paz interior...com o canto dos passarinhos :)

    Adorei a frase de Isabel Allende :)

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  3. AC, o bolo poderia ter ficado bem melhor, ainda assim, é sempre bom saboreá-lo :-)
    Obg AC, beijinho!

    ResponderEliminar
  4. Anita, de facto são lindos e trazem uma sensação de calma.
    Obg, beijocas!

    ResponderEliminar
  5. texto com sabores e aromas diversos e disperas dque rasgam os sentidos.
    a frase do momento. "os doces são uma verdadeira tentação". ufa, se são :)
    um beijinho doce!

    ResponderEliminar
  6. os doces? um verdadeiro tormento! :-)
    beijinho amigo!

    ResponderEliminar
  7. Mesmo não gostando de doces, saboreei a doçura do texto e uma calma que não me lembro de sentir.

    ResponderEliminar
  8. Miguel :-)!

    sabes, tenho momentos raros e curtos de calma, pelo que os saboreio até à exaustão, às vezes quase prefiro isso do que dormir.
    Obg, bjinho!

    ResponderEliminar

neblina

o rasto de fumo apagava-se na porta entreaberta e ficava o silêncio da noite e uma ou outra palavra por dizer. O cheiro do cigarro apagado e...