16.7.10


há dias assim...que nem os passos andam no alinhamento da vida, nem o sol parece seguir o trilho de um céu que será estrelas, há dias que até a roupa colada ao corpo sai à rua do avesso...
as palavras parecem flores que murcham numa jarra desolada.
há no fino fio do horizonte uma breve neblina quente que se afasta com o vento...
como é bom por fim fechar os olhos que ardem, sentir o cabelo solto ao vento e as roupas já concertadas colarem-se ao corpo então alinhado.

4 comentários:

  1. Há dias em que nada nos "pertence", parece que somos nós sem identificação. Bjs

    ResponderEliminar
  2. Tão verdade! há momentos que até a nossa própria voz estranhamos.
    Beijinho gd, didium!

    ResponderEliminar
  3. há dias assim... mas, felizmente, também os há bem diferentes, verdade? é assim mesmo a estrada: feita de rectas e curvas, algumas bem cegas...
    um beijinho!

    ResponderEliminar
  4. concordo plenamente amigo Jorge.
    beijinho!

    ResponderEliminar

neblina

o rasto de fumo apagava-se na porta entreaberta e ficava o silêncio da noite e uma ou outra palavra por dizer. O cheiro do cigarro apagado e...