29.7.10

Nesse dia levantei-me primeiro que todos...não antes que a melodia do mar a desmaiar ao longe no areal e não antes que o cantar dos galos a me fazer reviver pedaços de infância.
Mas ainda nem o sol se via no céu, apenas a lua prateava a rua fosca, já eu saboreava aquele momento tão breve e quieto, naquela varanda da qual me despedia. Há lugares que nos dão vontade de ficar, e fotografar os momentos com imagens e palavras é quase inevitável.
Aos poucos o sol foi iluminando o verde e tão viçoso pinheiral que todas as tardes se derretia ao sol, em frente à varanda.
Fiquei até aos candeeiros da rua se apagarem e darem lugar à luz do dia.

10 comentários:

  1. Há momentos assim, em que nos sentimos em comunhão com o que nos rodeia. Ainda bem.

    beijo

    ResponderEliminar
  2. ...e eu senti a vontade de ficar perdida na beleza das tuas palavras! (Por isso li o texto duas vezes) ;)
    Lindo!!
    1 beijinho

    ResponderEliminar
  3. a cortina do dia descerra-se paulatinamente, enquanto as sensações de luz e sombra se gravam na pele, na hora da saudade... o regresso é inevitável. de dia... de noite...
    um beijinho!

    ResponderEliminar
  4. Hummm...que parecem-me tão boas sensações!

    Um beijinho*

    ResponderEliminar
  5. no dia que amanheceu a vida lhe deu a oportunidade de ler e sentir...
    Abraço.

    ResponderEliminar
  6. AC verdade, momentos únicos capazes de fazer ouvir a nossa voz mais interior...beijinho

    ResponderEliminar
  7. Rosa, obg p'las tuas carinhosas palavras :-)
    belo é tb o mar da tua foto!
    beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Jorge, são sem dúvida estas sensações que como dizes ficam gravadas na pele... momentos que possibilitam retemperar forças e que fazem parte das memórias mais cheias de luz.
    Beijinho!

    ResponderEliminar
  9. Olá Anita! :-)
    Sim, boas sensações, como aliás se precisa em tempo de férias...e as tuas? desejo que estejas bem. beijinho

    ResponderEliminar
  10. Priscila, bom revê-la por aqui!
    De facto, a vida dá-nos a possibilidade de saborear, há que saber aproveitar até pequenos momentos. Beijinhos!

    ResponderEliminar

neblina

o rasto de fumo apagava-se na porta entreaberta e ficava o silêncio da noite e uma ou outra palavra por dizer. O cheiro do cigarro apagado e...