1.6.10

lago

"O lago mergulha as suas águas no silêncio e pendura ventos nas copas das árvores.
O vento brinca às escondidas com a vida e o Sol adormece, ao princípio da tarde.

O lago molha-nos os pés com doçura, e espelha paisagens sempre incompletas. A luz solta-se nas superfícies líquidas e persegue peixes presos na solidão.

O lago é uma carpete que se estende entre margens, com fios de água entrelaçados nas cores das transparências, onde barcos se sentam a balouçar, à espera de algo, talvez da enorme melancolia."


momentos
João Carlos Pereira

2 comentários:

  1. este texto faz parte de um livro cujo nome "momentos - 100 momentos, sem momentos"

    "Eu sou coleccionador de momentos, dos que, todos os dias, correm para o inferno, a perguntar pelo céu, dos que guardamos na casa do nosso coração, dos que saem das horas, para o exílio da eternidade.
    Eu sou aquele momento tão breve..."

    ResponderEliminar