15.6.10

.

as andorinhas hoje em plena IC19, mais eufóricas que harmoniosas, atraíam os olhares de todos quantos ali passavam, suponho. numa inegável dança sob o céu azul... numa inquestionável primavera. quais flores de jasmim... rodopiavam enamoradas pelo ar que se respirava.
ao fim do dia, entrei entusiasmada, sem quase pensar nos meus olhos, na livraria que reabriu... está renovada, mesmo que não tivesse, seria sempre uma livraria... mais parecia uma criança a folhear um livro, aquele e ainda o outro, depois de tamanha avidez ou melhor, depois de uma grande descontracção e "lata" decido sair sem nenhum livro em mãos e tantos nos olhos.
...na estação vendiam flores e não as comprei, as cerejas mal pesadas que a última vez de lá trouxe, tinham sabor de água e faltava-lhes o doce sabor de um dia.

5 comentários:

  1. Consegues sempre descrever algo tão bem!
    Adoro!

    Um beijo*

    ResponderEliminar
  2. "jogar tempo fora" também faz bem à alma.
    beijo

    ResponderEliminar
  3. Obg Anita, fizeste-me sorrir...
    Beijinho!

    Em@, ai se faz! o chamado "bel far niente" faz um bem desmedido ao corpo e à alma!
    Beijinho!

    ResponderEliminar
  4. o teu texto abre com o voo das andorinhas e fecha justamente com a andorinhização de cada um nós: deambulando sem destino, pousando os olhos no que tocamos, esbanjando um livro ou cobiçando um fruto... deixando, afinal, que a vida nos diga que precisa de nós para ser feliz!
    um beijinho, querida amiga!

    ResponderEliminar
  5. :-) amigo, adorei a tua andorinhização final!

    Obg e beijinho!

    ResponderEliminar