4.4.10

silêncios da noite

O silêncio começa sempre de fora para dentro todas as noites... só quando as ruas se calam e a noite se deita sobre o silêncio, a casa estreita as paredes na penumbra das palavras que me acercam à luz da lua.
E se em criança a noite era assombrada de mil medos, hoje faz nascer dos medos palavras...
Vivia numa casa com o quintal à beira de uma estrada sinuosa que subia até ao horizonte e se perdia nas montanhas mais frias. No silêncio da noite pressentia as ruas e as montanhas mortas de escuro e para sobreviver todas as noites, fixava-me aos sons raros dessa estrada.
Fazia-me bem, sentir que existia alguém tão acordado quanto eu e que seguia viagem, rumo a um destino qualquer... a um brilho no escuro, a uns braços abertos ou apenas a uma casa quente e iluminada.
Ainda hoje saboreio o que a toda a gente incomoda, os sons da noite por ínfimos que sejam ... a música do bar que chega em surdina, faz-me dançar a alma... as raras vozes que passam fazem-me lembrar a noite à beira mar com candeeiros de luz amarela como o sol, deixando rasto nos barcos que encostam à marina e nos olhos luzes das pessoas que sorriem de dentro para fora.
Juro-vos, não me importava de ouvir pássaros cantantes ou coisas do dia a embalar a noite.

5 comentários:

  1. Andy:
    eu gosto da noite.muito mais do que do dia, ela atrai-me, sempre me atraiu.de noite sou muito mais produtiva e criativa.mas sabes do que eu mais gosto? é precisamente do silêncio.gosto de deambular pela casa com todos já a dormir e sentir a atmosfera, os cheiros que se levantam do meu pátio com as suas rcvas aromáticas...no entanto, também gosto de subir ao terraço e ver que luzes da vizinhança estão acesas...acho que +e a identificação que procuro.
    beijinho

    ResponderEliminar
  2. eu tenho momentos que gosto do silêncio...aliás por vezes o cansaço é tanto que preciso mesmo dele...mas também gosto de me sentir acompanhada pelos sons da noite que chegam quase em segredo...
    também escrevo muito mais à noite, mas desenhar acontece mais de dia.
    bonita a tua noite, gostei das ervas aromáticas :)

    ResponderEliminar
  3. Olá Andy.Adoro ouvir os sons nocturnos,não me incomodam nada...nunca mais me vou esquecer do som de um mocho na porta da casa onde estava o ano passado de férias e tive insonia!Muito lindo de ouvir(espreitei da janela...não olhei para o bicho...medos:p)

    Raramente tenho insonias porque me deito sempre tarde para me sentir cansada e ir dormir logo directamente sem dar tempo para "filmes mentais".é o meu segredo...deitar mesmo ja completamente exausta...é o unico conselho que tenho para os que sofrem de insonias...sei que nao resolve todos os casos...mas comigo resultou!

    beijinhos!

    ps:Novidades de Madrid já estão no bloguinho!

    ResponderEliminar
  4. Andy
    Também eu gosto dos sons da noite...quando era garota, seria talvez por medo; hoje, necessito deles para me sentir viva. Tal como diz a Ema, gosto de deambular pela casa quando esta já dorme, de me sentar no jardim olhando as estrelas e de sentir a alma das coisas no fundo da noite.
    Beijo
    Graça

    ResponderEliminar
  5. realmente a noite tem uma aura de mistério que nos encanta mas também nos impressiona nas suas formas mais enigmáticas, um mocho a meio da noite certamente me iria espantar de algum receio! Passarei com toda a certeza para ver as novidades :) Bjinho Patrícia!

    adorei a tua frase Graça "sentir a alma das coisas no fundo da noite"... um gd beijinho!

    ResponderEliminar

neblina

o rasto de fumo apagava-se na porta entreaberta e ficava o silêncio da noite e uma ou outra palavra por dizer. O cheiro do cigarro apagado e...