29.4.10

camélia na mão

...que sensação de dia conseguido quando saí do trabalho, talvez pelo imenso céu azul e calor ameno que me abraçou calmamente, sorri sozinha em plena rua mordi o lábio para controlar o riso solto...
A dona L. chegou frágil, não sei se me reconheceu no meio do seu olhar terno e perdido. Tentei que me ouvisse num esforço de voz rouca... como a garganta se enche de pó talvez das palavras paradas ou que ficam por dizer.
Perfume de flores brancas segui por um novo caminho à espera de encontrá-las mas nem vestígios... mudaria talvez aqueles arbustos monótonos por camélias brancas a acenar ao vento.

4 comentários:

  1. dois trilhos com camélias no olhar cruzando-se sob o testemunho do ocaso...
    beijinho, Andy!

    ResponderEliminar
  2. E nada como camélias brancas à espera de ser pintadas!
    Beijos
    Laura

    ResponderEliminar
  3. ora, as camélias brancas vão sempre muito bem com tudo: olhos, mãos ou regaços...
    A dona L é uma sortuda!
    ...
    cehegeui Andy e vim dizer-te que me lembrei de ti, nem sei muito bem porquê (isto é, + ao - , a repetição do que te respondi no meu canto).
    beijinho

    ResponderEliminar
  4. Que doce descrição! :)

    Um beijo*

    ResponderEliminar