1.3.10

Eu e a comida

Nunca escondi ser completamente apaixonada pelos sabores que se adivinham num perfume que surge de uma combinação de alimentos... desde sempre que completava um qualquer acontecimento com um colorido sabor, nem que fosse um simples estar no regaço do sofá num dia de pouco fazer (onde andam esses dias?) a devorar filmes e bolachas de chocolate... ai, só a memória me traz saudade!
E quantas vezes o desejo de sentir o cheiro a bolo quente pela casa é também uma necessidade que vai muito para além das ávidas papilas gustativas que se encharcam de saliva mas também um acender de memórias que trazem um aconchego particular muito provavelmente difícil de caracterizar ...
Com o tempo passei de uma simples consumidora e apreciadora para mais tarde quase obrigatoriamente ter que também confeccionar, como é natural... e sem dúvida que há dias mais inspiradores que outros... mas a realidade é que para cozinhar não podemos esperar pelos dias em que acorda nas mãos a vontade de o fazer...
E sem dúvida que os melhores sabores resultam de alguma intuição, sensibilidade e bom senso...como tudo na vida! :)
.
escritos anteriores:

1 comentário:

  1. Termos capacidade de revoltarmo-nos é bom, porque é sinal de muitas outras coisas boas....pensar,questionar,comparar e acima de tudo, liberdade para manifestarmos essa revolta.Nem tudo é mau quando a revolta ganha espaço dentro de nós.
    Estamos vivas!
    bjinho

    ResponderEliminar