17.2.10

.

A Lua que me perdoe mas hoje não há palavras doces que resistam a uma semana como a que tenho tido... nada do que aqui vou escrever seria motivo para um post, pelo que este discurso será fútil, simplesmente desnecessário, inútil e sem princípio nem fim...
Poderia agilmente e de forma assertiva falar sobre a imperfeição do Corpo e ficaria o meu desabafo escrito de forma elegante... mas hoje apetece-me se calhar descontrair e escrever sem meios termos, em tom de livre expressão...
Isto tudo para dizer que tenho passado a semana a amargar no dentista, sim... esse mal/bem necessário! (eu bem disse que seria um discurso fútil...)
Um abcesso que se repete, tem me tirado a alegria dos dias e exageros à parte, nem degustar os alimentos com prazer me tem sido possível... nem uma cremosa taça de flocos de aveia e morangos frescos consegui saborear esta manhã com o prazer que me teria sido habitual... digamos que sendo a primeira vez que isto me acontece, tem me dado que pensar e atormentar...
E então na verdade, todo aquele ambiente da sala de dentista é simplesmente aterrorizante... desde aquela falsa cadeira que nos aparenta poder passar ali um tempinho confortável, até os sons, odores e sabores, terríveis! Hoje senti-me ficar sem “gota de sangue” tais eram os nervos... quase me senti desmaiar na própria cadeira falsa...
no meio de todo aquele sofrimento, ainda têm a frieza de me fazerem perguntas com todos aqueles apetrechos dentro da minha boca, a sonda de sucção e seja lá mais o que for... ficam realmente à espera de resposta, isso é que me surpreende! E eu respondo com as forças que me restam e com o esforço de quem tem uma qualquer coisa na boca que dificulta qualquer tipo de comunicação verbal.... ficam indiferentes, sem dó nem piedade!
Estranho caso o meu... sofro realmente com isto, é quase fobia.
Bem, só desejo que este fado acabe rapidamente, sim porque o fim ainda nem se avista!

4 comentários:

  1. Andy querida, desse mal sofremos muitos. Eu também tenho pavor...agora imagina teres desvitalizado um dente. Passados uns meses estás em Espanha (Santiago de Compostela a passar as férias da Páscoa). De repente o dente desvitalizado começa a incomodar...depois a doer...nada lhe tira a dor. A minha sorte é que estava com amigas espanholas que estudavam lá na universidade. Toda a gente do circuito que frequentavamos sabia que me doía a muela! Uma destas amigas era filha de um colega de curso do meu pai, mas viviam em Pontevedra. E foi a minha sorte. A mãe dela Tratou e tudo pelo telefone e mandou-me a uma clinica particular eram 2h da manhã (já eu quase, literalmente, batia com a cabeça nas paredes ). Deram -me uma injeccção para aguentar a viagem (sedada) até Pontevedra.Quando cheguei já estava tudo preparado à minha espera e só te vou dizer que o médico que me tratou não levou o caso até às últimas consequências porque quem me tinha feito aquilo era português e metia questões mais complicadas . Eu explico, o fulano que se intitulava médico dentista, afinal não era mais que um antigo mecânico-dentista com reciclagem, vulgo cirurgião dentista. Ele já morreu, coitado.R.I.P.
    Ao desvitalizar-me o dente introduziu um tubo, dizendo ele ue era para quando me tirassem uma radiografia ver que o dente estava desvitalizado...Aquilo criou um bolsa de ar, que como é lógico, e tu como enfermeira sabe-lo bem, putrefactou.Só te digo que quando o médico em Pontevedra me abriu o dente, a enfermeira que o assistia quase que vomitava tal era o cheiro.Tinha os gânglios do pescoço, maxilares etc todos infectados, nem conseguia mexer o pescoço. Estive a antibiótico um mês.E claro sob vigilância médica.Os amigos dos meus pais mandaram um relatório ao meu pai e ele foi mostrá-lo ao tal dentista. O fulano meteu as mãos pelos e ofereceu tratamentos vitalícios à família...Imagina se algum de nós metia lá os pés. Entretanto ele adoeceu e morreu passado pouco tempo, com cancro no pulmão. E eu estive à beirinha de uma septicémia.Medo do dentista??? Nãooooooooooo, pavoooooooooor!

    ResponderEliminar
  2. As melhoras e desculpa ter-te contado ha desgraça nesta altura!
    Beijoooooooooo

    ResponderEliminar
  3. Estou solidária contigo Em@! Não há dúvida, pavoooooooooooooooooooooooooooooooooorrr!

    ResponderEliminar
  4. O que faço a este teclado??? É doido.
    Com e letras, palavras e fica uma salgalhada que só visto...
    No ocmentário anterior queria escrever "tamanha" desgraça, mas saíu "ha". Desculpa :(

    ResponderEliminar