10.2.10

.

Acordar lânguido...
lá fora já é dia e a noite não espera que o corpo se refaça das suas lamentações.
Neste semi-acordar, veio á memória as tardes quentes de verão... em que desfolhávamos canas de açúcar e com tanta avidez mordíamos até sentir o suco fresco e doce que nos acalmava os sentidos...
Com a mesma vontade sentia o perfume das plantas agrestes que transpiravam ao sol e bebia daquele azul mar imenso que emoldurava o momento...

3 comentários:

  1. Gosto de te ler e sentir a suavidade do teu olhar nas tuas palavras, amiga.

    ResponderEliminar
  2. A palavra feita de sensações... Nem a chuva que não nos larga consegue travar o impulso de um estio lembrado, sonhado, desejado... dentro e fora do ser.
    Beijinho!

    ResponderEliminar
  3. Andy:
    Fizeste-me recuar muitos..muitos...muitos anos.
    Tambémeu adoava comer cana doce (era assim que chamávamos lá no Sul onde nasci!)E isso também acontecia em casa da minha avó materna, que tinha um quintal enorme com uma horta/pomar e canavial.Os meus avós maternostinham os seus ascendentes na tua ilha (presumo eu...)Ora aqui está maias uma coisa em comum.
    beijinho no <3

    ResponderEliminar