23.12.09

Não sei na verdade se faz sentido o que se segue... mas um dia destes, enquanto via uma ínfima parte de um filme de Natal...sem me aperceber exactamente do enredo na perfeição... retive que eram pessoas adultas a receber um presente que em crianças tinham desejado muito...ao desembrulharem os presentes as pessoas deparavam-se com um sentimento enorme de felicidade, os olhos espelhavam o brilho de uma memória que ainda lhes fazia maravilhar pela simplicidade de um pequeno brinquedo...
Isto fez-me lembrar algo sem importância nenhuma...
Um Natal em que já não acreditava nos mistérios escondidos... mas dei-me ao luxo como todas as crianças de me demorar a explicar a boneca especial que queria...e nem por isso as bonecas já me faziam muito sentido mas por aquelas e sobretudo por aquela boneca de pano tinha tido um amor à primeira vista quando a vi na montra da loja e uma vontade enorme de lhe pegar e abraçar...de facto ainda hoje as bonecas de pano me prendem o olhar...
Apesar da exaustiva e detalhada explicação de onde morava a boneca, a loja, a prateleira, a contar da direita para a esquerda seria a quarta, a cor do cabelo, o vestido, enfim...
Ao ver o embrulho que o meu pai orgulhosamente estendia percebi que não era a boneca pequena e fofinha que tanto queria...era uma caixa grande que guardava uma boneca de borracha, talvez linda mas os meus olhos ainda estavam presos à pequena e simples boneca de pano...
Sem importância nenhuma como dizia e nem por sombras com qualquer tipo de trauma obviamente...
apenas recordando a criança que habita em nós, que se deslumbra, que sonha...
(porque o Natal também nos traz essa magia).

Sem comentários:

Enviar um comentário