1.11.09

e como pesam...

Há dias determinantemente perigosos para comprar seja o que for...porque tudo me parece necessário, pior que isso, tudo me parece indispensável ... e esta altura do ano é propícia aos sabores, e ao ficar no quentinho a satisfazer as vorazes papilas gustativas. Entrar numa superfície comercial cheia de luzidias frutas de todas as cores e feitios, as castanhas que entram logo para a minha lista, os frutos secos, uns docinhos porque farão falta com toda a certeza, diz-me o meu pensamento, ...um chá, um isto, um aquilo, fora o que realmente é necessário!! Mas tudo brilha e me chama a atenção...
E chego a um ponto que olho para o volume das compras e penso, não! Não vou conseguir levar isto tudo... por outro lado penso, tudo é importante e preciso muito de tudo! Mentira...
E cheia de convicção dirijo-me sempre com esperança para a caixa e enquanto vejo os sacos se formarem a meus pés, a esperança de que o meu corpo irá conseguir suportar o peso das compras vai-se desvanecendo...
Ainda assim, tento ter aquela atitude positiva de que estou bem mas... começa o corpo a fraquejar e não há vez nenhuma que não pense, como desejaria ter uma capacidade muscular proporcional aos meus desejos ou ser suficientemente forte que não fraquejasse aos apelos vorazes da gula! ...

Sem comentários:

Enviar um comentário