7.10.09

Transparência


Ser transparente e ver a transparência do Ser...remete-nos para a clareza com que nos expressamos/mostramos e para aquilo que os outros deixam transparecer de si próprios.
E se é desejável que sejamos assertivos na nossa relação com o Outro, também a transparência tornaria as relações mais genuínas e verdadeiras. E esta clareza com o Outro teria ou não benefícios consoante o que cada um de nós quer deixar ou não, transparecer.
De uma forma ou de outra, quase todos nós já passámos por situações em que gostaríamos de ter sido menos transparentes aos olhos de alguém, como forma de nos protegermos ou até de proteger o Outro.
Há quem estrategicamente consiga refugiar-se no seu mundo e entregue as suas emoções mais recônditas a uma outra dimensão sensorial, não as manifestando para o exterior sob a forma de linguagem verbal e não verbal. E há sem dúvida aqueles que mais facilmente deixam falar a alma através do corpo.
Acredito que parte da magia existente na relação com o Outro é vermos para além do que Ele nos mostra.
O brilho que salta do olhar e não mente, o sorriso escondido, o gesto encoberto, a bruma da emoção, a lágrima que escorre pelas vísceras e contamina os movimentos sem enganar, a fúria que incendeia a face, a gargalhada que cala a lágrima, a voz que vacila, a palavra calada, a alegria que contagia...
Eduardo Sá diz, “...a transparência não é um jeito de ser. Mais parece uma graça que desce, de surpresa, sobre duas pessoas e ao contrário da névoa (que as separa) as liga num mesmo querer.”
Enquanto o lápis desliza sobre o papel a transparência brilha na sombra das palavras...mas também aqui (mundo da blogosfera), temos uma máscara que nos protege, e só alguns têm a coragem de mostrar os olhos que escrevem...
Um dia quem sabe, terei a transparência ou coragem de mostrar as mãos que escrevem e os olhos que vos lêem...
Independentemente disto, incentivo a observarem quem vos rodeia para além das palavras, para além do que parecem querer parecer, talvez descubram “jeitos de ser” nunca antes deslumbrados...

3 comentários:

  1. E aqueles que usam a transparência para esconder? Esvaziam-se perante o Outro, mostram os bolsos vazios, mas escondem de tal forma de si próprios que desconhecem escondem.

    A maior parte das vezes este Outro sou Eu próprio, e gostava tanto de ser verdadeiramente transparente ...

    ResponderEliminar
  2. E eu, que tenho tanta dificuldade em não ser transparente? É verdade, as pessoas que me conhecem, por mais que eu disfarce, notam logo que estou a tapar a minha transparência.
    E acreditem, às vezes é complicado verem-nos assim, tão claro!
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. A transparência... a leveza... a (in)sustentável leveza do ser...

    Beijinho grande!

    Jorge

    ResponderEliminar

neblina

o rasto de fumo apagava-se na porta entreaberta e ficava o silêncio da noite e uma ou outra palavra por dizer. O cheiro do cigarro apagado e...