11.10.09

Tardes de Domingo...

As tardes de Domingo sempre tiveram uma forte nostalgia e um certo nervosismo que acompanha o final do dia, sempre tive esta sensação desde há muito...
As cores de contentamento com que se veste a 6ª feira à tarde, é pura ilusão porque as horas passam num ápice e os minutos escorrem por entre os dedos.
E mesmo tendo feito planos mentais às vezes absurdos e promessas apesar de estratégicas, totalmente inglórias...fica sempre o sabor de que poderia ter feito mais... e poderia realmente.
Neste momento surgiu inevitavelmente na minha mente, aquela imagem de que outrora ou até ainda hoje, mulheres após uma manhã dedicadíssima aos seus Lares, passariam a tarde entusiasmadas e felizes a bordar tecidos maravilhosos ou a cozinhar deliciosos sabores para desfrutar com a sua família num ambiente calmo e silencioso.
E se por acaso sentem nestas palavras algum tipo de crítica enganam-se porque para mim seria um sonho sentir-me completa e realizada com bordados e sabores. E o quanto eu deliro com o cheiro de bolo acabadinho de fazer pela casa...
Mas porque os dias são muito agitados e cheios de relâmpagos, aproveito este bocadinho de calma para escrever esta conversa inútil...
E já se sente na pele o frenesim de Domingo à tarde e nem um cigarro porque não fumo ou um café que não bebo faz acalmar este animal falante que habita em mim...
Não ter vícios “palpáveis” (se é que me entendem) chega a ser stressante porque não conseguimos canalizar as energias para actos simples ...
Escrever leva tempo, desenhar tempo leva e assim se vai o tempo...e juro a mim própria e aos que me rodeiam que após esta maquiavélica dissertação vou dedicar-me ao Lar.

2 comentários:

  1. Show Andy;;;que texto bem escrito viu. Amei.


    abraços

    Hugo

    ResponderEliminar
  2. :)
    Há pessoas que não nasceram para ser donas de casa. Eu sou - definitivamente! - uma delas!

    ResponderEliminar