4.10.09

sonhei


sonhei que apesar da dor
pequenos diamantes, pérolas
e safiras cosia na pele
traçava riscos e pinceladas de cor
e com a água da minha alma
aguarelas de mapas infinitos
formavam-se no corpo adornado
sonhei que no movimento do abraço
e dos passos purpurinas
pó de brilhantes se soltavam
e deixavam o meu rasto
no caminhar colhia flores, penas
plumagens de cor que guardava
debruava no corpo
e nos cabelos soltos
fixava flores que no vento
se perdiam ...
agarrava por fim as estrelas
e admirava-as por momentos
nas minhas mãos

1 comentário:

  1. Tocar as estrelas... conseguir mantê-las nas mãos, mesmo que breves instantes... felicidade suprema...
    Beijinho, Andy!

    ResponderEliminar

neblina

o rasto de fumo apagava-se na porta entreaberta e ficava o silêncio da noite e uma ou outra palavra por dizer. O cheiro do cigarro apagado e...