28.9.09

O rio de hoje...

Jardim de Queluz

Hoje depois de uma caminhada a pé, parei junto ao rio, seca de sede....os meus olhos beberam da água do rio e só consegui voltar a olhá-lo, depois de sofregamente repor os líquidos com uma água bem fresca.
Depois sentada num banco pensei...este rio não seria tão belo se não existissem aquelas pequenas árvores ao seu redor. Assim como os meus olhos, não o veriam com tanta paz, se não fosse aquela água que antes me refrescou.
Também as flores não seriam tão belas como quando pela manhã pequenas gotas de orvalho iluminam as suas pétalas...
Assim como as nuvens quando rasgadas pelos raios de sol me parecem mais majestosas.
Os jardins com borboletas me parecem mais completos.
Uma pintura é sempre mais intensa se antes passou pelo coração.
E como também apenas nasceram estas palavras porque o rio espelhava o sol e as minhas mãos que escreviam...

Só tive pena de não ter tido a hipótese de o fotografar.

1 comentário:

  1. são os nossos olhos,e a nossa vida que dão significado ao mundo,e o fazem tão belo... mas só porque já é bela a natureza,é que os nossos olhos a veem assim!é simbiotico...(tlv não me tenha expressado da melhor maneira!)

    ResponderEliminar