18.9.09

cor de Outono

Klimt

O vento frio que quase dilacera a face e se entranha em todos os poros do corpo, começa a dar os seus primeiros sinais de vida nestes fins de tarde...
O pôr do sol é mais suave e menos caloroso.
Já me sinto a despedir das folhas verdes e cheias de luz.
Já me imagino a olhar pela janela e ver dias sombrios... hibernar seria a palavra que mais conforto me daria.
Esta melancolia que já nasceu comigo e que tatuada em minhas asas intensificada é, por esta dor de Outono...
E talvez apenas tapetes de folhas castanhas dêem força aos meus passos, ou o cheiro da terra molhada e o sabor das castanhas agucem os meus sentidos e a aproximação do Natal me traga algum calor na alma.
Sei que o frio, as águas e os ventos são alimento para a terra mas a minha alma que se veste de Outono apenas sobrevive com incansáveis dias de sol...

2 comentários:

  1. Andy,

    O Outono também começou por aqui. Sinto no ar uma certa nostalgia... Contudo é tempo de "repousar" da azafama do verão, um tempo mais introspectivo, de estudo e de saber saborear estes tempos.
    Estou solidária contigo, mas temos de aprender a saber saborear todas as épocas do ano em plenitude.
    Gostei muito do teu post.
    Apesar de não comentar muito, sou tua leitora assídua! :-)
    Beijo

    ResponderEliminar
  2. :)
    sou mto sensível ao outono e á primavera, estações de passagem e de preparação para as fortes..
    por aqui também já se sentem os dias mais curtos e a brisa á noite, mas em contrapartida a temperatura da água do mar está uma delícia...beijo de saudade*

    ResponderEliminar

neblina

o rasto de fumo apagava-se na porta entreaberta e ficava o silêncio da noite e uma ou outra palavra por dizer. O cheiro do cigarro apagado e...