11.8.09



Como num estrídor
que estremece as asas
como num silêncio
que agonia
como num vazio
que se amarra
o denso manto quente
que abafa...

Sem comentários:

Enviar um comentário