10.6.09

O assunto de hoje tem “bolinha” mas não resisto a falar disto...
Falar de sexo, sempre foi motivo de curiosidade, necessidade, interesse e aceitação, pelo menos para a maioria das pessoas...
Nem sempre se falou dele abertamente, já foi um tema escondido, pouco conversado, quer entre pais/filhos, casais ou até mesmo em escolas. Cada vez mais e também devido às doenças sexualmente transmissíveis e a necessidade de as prevenir, o sexo tem sido um tema mais explorado e discutido entre casais, famílias, escolas, centros de saúde e meios de comunicação.
Um dia enquanto fazia zapping na televisão, deparo-me com o programa desta senhora que me prendeu totalmente e digo-vos porquê...não propriamente pelo conteúdo, ou pelas questões colocadas pelos ouvintes, mas pela descontracção e direi mesmo excelente e simples forma de responder a todas as dúvidas colocadas pelas pessoas.
A senhora tem aquela idade respeitável que aparenta e uma agilidade para falar de sexo, que se revela na sua postura verbal e não verbal.
As questões colocadas são variadas, “de todas as formas e feitios”. Algumas e com o devido respeito pelas pessoas que as colocam, nem parecem reais...
Há uma parte do programa destinada a apresentar novidades e objectos para proporcionar prazer e então há uma infinidade de coisas apresentadas com uma ligeireza e boa disposição indiscutivel.
Chega-se no entanto a meio do programa e sente-se, isto é puramente sexo, fala das práticas sexuais, formas de aumentar prazer sexual mas falta qualquer coisa.
Fez-me ter saudades dos programas do Prof. Júlio Machado Vaz que também falava de sexo mas também de relações, cumplicidade e amor.
Um programa não invalida o outro se calhar, para umas pessoas resultará um melhor que outro...
Vejam só um bocadinho.

4 comentários:

  1. Já assisti ao programa,fiquei surpreendida ao ínicio pelas razões por ti apontadas,contudo,acho este tipo de programas,demasiadamente voltados para a útilidade e fazem do acto sexual(que deveria ser também de amor) algo semelhante a "saiba como escolher bem um melão" ,o que me acaba por irritar...
    O sexo não vem nos livros,é preciso previnir,mas não me parece necessário fazer manuais...e programas de tv...com o tempo penso que tudo se melhora...~
    Digo eu...

    :D

    ResponderEliminar
  2. Curiosamente também eu vi esse programa. Vi perguntas interessantes e outras por assim dizer... fascinantes... mas as respostas eram sempre descontraídas, descomplexadas, rápidas e funcionais. Nao se trata de amor, relaçoes, pensamentos ou histórias. Trata-se de "medicina" do sexo, como curar, mudar, promover um melhor e mais ajustado acto sexual.
    Ora é verdade que há muito mais do que apenas actos sexuais na vivencia da nossa sexualidade, e como dizes, precisamos de ambos, porque ninguém nasce ensinado, e nao chega gostar muito e sermos muito apaixonados. Temos que lidar também com coisas práticas como preservativos, doenças, dores, inseguranças, desejos, maneiras de falar e comunicar, etc...

    jah bless

    ResponderEliminar
  3. Penso que a educação para a saúde da qual também faz parte a educação sexual é de extrema importância, quanto mais não seja como forma de prevenir doenças, situações de insegurança ou desespero e até mesmo para promover um correcto planeamento familiar.
    Sinto que ainda hoje, há pessoas que por timidez ou complexidade, têm dificuldade em verbalizar as sua dúvidas e receios junto de profissionais de saúde ou das pessoas mais indicadas. Penso que ainda hoje as famílias não falam abertamente de sexualidade...e muitas vezes é através dos meios de comunicação que as suas dúvidas e desejos são esclarecidos. E se assim fôr tanto melhor para elas, é importante de igual forma, pior seria se a informação não lhes chegasse.
    No entanto, penso que às vezes as pessoas caem num exagero de insatisfação e de procura de algo que nem sabem bem o que é, pensando muito no prazer físico e pondo de lado muitas vezes as emoções e sentimentos.
    A essência do amor essa de facto não se ensina nem está propriamente nos livros. Vem com a vida, com o que sentimos e com o que somos...
    Como em tudo, podemos sempre seleccionar a informação que nos serve ou faz falta e pôr de parte, o que nem tanto nos agradou e/ou esclareceu de alguma forma.

    ResponderEliminar
  4. Estou a agradecer a todos os amigos a presença na minha festa de aniversário.

    Muito obrigado. :) Amei.

    António

    ResponderEliminar