27.5.09


"Há em todos nós a criança que fomos (ou, se preferirem, que somos), uma vez que os episódios da nossa infância vivem, para sempre, connosco. Alguns abrem avenidas novas no nosso crescimento. Outros atropelam-nos (de surpresa) condicionando e limitando a nossa relação com a vida, com o amor, com os sonhos ou com tudo aquilo que sentimos. Serão pequenas feridas da infância que nunca foram contrabalançadas por aventuras divertidas, por viagens inesquecíveis ou por experiências mágicas (onde, por exemplo, antes de configurarmos uma dúvida, um dos nossos pais terá inventado uma solução). O que não teriam precisado de conquistar tantas crianças (hoje já pais) para terem conseguido cicatrizar descuidos , desamparos, decepções e desinteresses que viveram!"
Eduardo Sá

2 comentários:

  1. «"Há em todos nós a criança que fomos (ou, se preferirem, que somos), uma vez que os episódios da nossa infância vivem, para sempre, connosco.»

    Bela citação. Bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar
  2. Os meus braços cresceram, as minhas mão cresceram, as minhas pernas cresceram... tudo em mim se modificou mas continua a haver em mim a criança que fui e que continuo a ser.

    =)

    beijinho

    ResponderEliminar