25.5.09

Canoa


Na noite calma que cai, lembro a lua quando no mar liso se espelha...rasto branco que ilumina imenso céu escuro que se pôs.
Sinto os dias que correm... as horas e os segundos que escapam por entre os dedos, o tempo que não espera e que apenas pára quando o sol se sente quente na alma que assim se alimenta sedenta enquanto a natureza nos sorri e convida a viver.
Imagino-me em pequena canoa rangente percorrendo rios de vida em que se solta o suspiro dos vales que encontro nas enseadas deste lânguido e lento rio, plátanos verdejantes onde pássaros cantantes seduzem e encantam.
E como se de uma paisagem exótica se tratasse imagino aves coloridas e brancas que calmas paravam para ver a canoa passar entre flores arco-iris e doces perfumes...
Canoa de madeira segue viagem ao sabor dos luares, dos ventos e estrelas cadentes...num olhar desprendido que sorri, que chora...que sente.

1 comentário: