6.4.09


Na sombra do lápis
há a palavra
que se quer dizer
e se faz ouvir
na sombra das palavras
o mistério
que não se consegue decifrar
na sombra do mistério
as vozes dos anjos
da noite e da lua
na sombra da lua
o corpo que dança
sente...
na sombra do corpo
a alma que se desnuda
se amarra em fios de cetim
se enfeita com brilhos de prata
na sombra do silêncio
os gritos que ardem
que ficam...

1 comentário:

  1. sempre na sombra... sempre no viés da luz ténue e baça... Sempre na face desnuda do dia...
    Na sombra acontecemos...

    ResponderEliminar