1.4.09

Aromas


Cinco sentidos...aqueles que nos mantêm em contacto com a realidade, com a Terra , um misto de físico e emoção. Transportam-nos para um campo metafísico repleto de sensações...toque, veludo, som, melodia, aroma, imagem, contornos, doce sabor...sentidos que nos mantêm presos à vida.
Há quem diga que há um sexto sentido e até há quem já tenha escrito sobre esse misterioso sentir.
Qualquer um dos sentidos é fortemente inspirador e motivo para nos perdermos a sonhar. O olfacto é um dos mais apurados sentidos e faz-nos lembrar momentos, sensações, situações vividas...
Conseguirmos evocar fragmentos do passado através do olfacto e do paladar tem sido também uma constante na literatura.
Marcel Proust evoca na obra Em Busca do Tempo Perdido, descreve como um sabor transporta o protagonista para a felicidade de infância “Levei aos lábios uma colherada onde deixara amolecer um pedaço de madalena. Mas no mesmo instante em que aquele gole, misturado com as migalhas do bolo, tocou o meu paladar, estremeci, atento ao que se passava de extraordinário em mim. Invadira-me um prazer delicioso, isolado, sem noção do que o causava...”
Para os cientistas o olfacto tem sido o mais enigmático dos sentidos , sabemos agora que existe um milhar de genes que funcionam como receptores do olfacto e permitem reconhecer e memorizar cerca de mil substâncias odoríferas.
Fechar os olhos, inspirar e decifrar os aromas que nos rodeiam é sempre uma experiência que nos dá prazer especialmente se estamos rodeados por natureza.
Há aromas que nos fazem recordar, outros sonhar, outros desejar, todos eles fazem parte da nossa memória olfactiva. Outros serão novidade e extâse, outros serão sempre aromas por desvendar.

2 comentários:

  1. "Com os olhos, toquei as amarras de seda que prendem o escaler ao cais de veludo exótico onde, suspirando, rompes as cordas ácidas do abandono; Com os olhos, embriaguei-me de perfume e de aromas do teu corpo-esquife que baila nos braços de um vento-mar, retalho da saudade; Com os olhos, senti o agridoce dos teus lábios, temperando um salva-vidas em águas profundas; Com os olhos, escutei o eco surdo da tua respiração junto ao rosto faminto, assinalando gentilmente mastros túmidos e desfraldando velas-desejo.
    Com os olhos, vi…
    Com os meus olhos, sen-ti…
    Pelos teus olhos, voltei a viver!"

    excerto de "O Quinto Sentido", J. Pimenta

    Beijo!

    ResponderEliminar
  2. Há um aroma risonho,
    de saudade e sonho
    que se mistura na memória
    e se entrega nos dedos.

    Há verdades em que os cinco sentidos são poucos para explicar.

    ResponderEliminar