30.3.09

Regresso



Na janela entreaberta
Raio de sol rasga escuridão
Penumbra que ilumina
Força que disperta incendeia

Livro sobre a mesa está
Folhas gastas pelo tempo
Ressequidas
Versos
E versos por contar
por rasgar

Eu regresso do pó das palavras duras
que ficam
Regresso das marcas de dor
Que no corpo se apagam
Na alma perduram

De cabeça erguida caminho
Ainda que me faltem forças
E certezas...

Cada vez mais nítida
oiço a voz
Jamais desistir
de quem Sou...
jamais desistir de quem quero ser.

1 comentário:

neblina

o rasto de fumo apagava-se na porta entreaberta e ficava o silêncio da noite e uma ou outra palavra por dizer. O cheiro do cigarro apagado e...