30.3.09

Regresso



Na janela entreaberta
Raio de sol rasga escuridão
Penumbra que ilumina
Força que disperta incendeia

Livro sobre a mesa está
Folhas gastas pelo tempo
Ressequidas
Versos
E versos por contar
por rasgar

Eu regresso do pó das palavras duras
que ficam
Regresso das marcas de dor
Que no corpo se apagam
Na alma perduram

De cabeça erguida caminho
Ainda que me faltem forças
E certezas...

Cada vez mais nítida
oiço a voz
Jamais desistir
de quem Sou...
jamais desistir de quem quero ser.

19.3.09

Desafio

Recebi a proposta para um desafio através do blog http://circum-viagem.blogspot.com/ do poeta Jorge Pimenta.
Achei o desafio muito interessante e proponho-me a cumpri-lo, consta de partilhar com outros "blogfriends" leituras que estamos a fazer, no momento, de modo alietório. Desta vez, a ideia é publicar o que a minha leitura presente oferece na página 161, quinta linha.
Antes, devo dizer que a leitura nesta fase da minha vida acontece de uma forma fugaz, sem hora marcada, sem aviso prévio, apenas e só, quando há uma fugidia possibilidade. De forma que na realidade, demoro mais do que gostaria a ler um livro, neste momento e ainda, estou a ler Eduardo Sá, em “Más maneiras de sermos bons pais”. E a quinta linha da pagina 161:

“...quanto mais intensa uma dor for, ou mais se prolongue, mais gera partes nossas envoltas em penumbra, ou mesmo escuras.”

Lanço o desafio a:
Lita -http:// deambulando-no-sentir.blogspot.com
Kaila -http:// livrodareclamações.blogspot.com/
Hermes-http://imensasplanicies.blogspot.com/
Super-Ianita-http://superianita.blogspot.com/
Sérgio M. - http://historicofilosoficas.blogspot.com/
manzas - http://pensamanzas.blogspot.com/

16.3.09

O sabor


Tenho em mim o sabor da terra molhada
Quando descalça caminho euforicamente
Contemplando a natureza nos seus ávidos pormenores,
Envolvida em cheiros, sons e texturas
Deleito-me com tamanha beleza...
Tenho em mim o sabor do mar quando
Meu coração derrama de dor...
Trago em mim o sabor de lua cheia
Quando misteriosamente
Me escondo e revelo num misto de emoções.
Sou o sabor das cerejas
Quando doce saudade me invade...
Tenho o sabor das tardes quentes de Verão
Quando meu corpo em silêncio
Se deixa envolver pelo momento.
Trago em mim o sabor das flores
Quando ingenuamente sonho
Desejo e me encontro...
Trago em mim tatuados os sabores
De todas as palavras que em mim ficam
Que em mim se revelam
Num único sabor...Eu.

15.3.09

Imortais - Mafalda Veiga

Por mais que a vida nos agarre assim
Nos troque planos sem sequer pedir
Sem perguntar a que é que tem direito
Sem lhe importar o que nos faz sentir

Eu sei que ainda somos imortais
Se nos olhamos tão fundo de frente
Se o meu caminho for por onde vais
A encher de luz os meus lugares ausentes

É que eu quero-te tanto
Não saberia não te ter
É que eu quero-te tanto
É sempre mais do que eu te sei dizer
Mil vezes mais do que eu te sei dizer

Por mais que a vida nos agarre assim
Nos dê em troca do que nos roubou
Às vezes fogo e mar, loucura e chão
Às vezes só a cinza do que sobrou

Eu sei que ainda somos muito mais
Se nos olhamos tão fundo de frente
Se a minha vida for por onde vais
A encher de luz os meus lugares ausentes

É que eu quero-te tanto
Não saberia não te ter
É que eu quero-te tanto
É sempre mais do que eu sei te dizer

É que eu quero-te tanto
Não saberia não te ter
É que eu quero-te tanto
É sempre mais do que eu sei te dizer
Mil vezes mais do que eu te sei dizer
Mil vezes mais do que eu te sei dizer

Mafalda Veiga

13.3.09

I want a little sugar in my bowl - Nina Simone



Poderá alguém não gostar disto?

Renoir



Pierre-Auguste Renoir (Limoges, 25 de fevereiro de 1841 - Cagnes-sur-Mer, 3 de Dezembro de 1919) foi um dos mais célebres pintores franceses e um dos mais importantes nomes do movimento impressionista.
Desde o princípio sua obra foi influenciada pelo sensualismo e pela elegância do rococó, embora não faltasse um pouco da delicadeza de seu ofício anterior como decorador de porcelana. Seu principal objetivo, como ele próprio afirmava, era conseguir realizar uma obra agradável aos olhos. Apesar de sua técnica ser essencialmente impressionista, Renoir nunca deixou de dar importância à forma - de fato, teve um período de rebeldia diante das obras de seus amigos, no qual se voltou para uma pintura mais figurativa, evidente na longa série Banhistas. Mais tarde retomaria a plenitude da cor e recuperaria sua pincelada enérgica e ligeira, com motivos que lembram o mestre Ingres, por sua beleza e sensualidade.

12.3.09

The look of love



The look of love is in your eyes
A look your smile can't disguise
The look of love is saying so much more than just words could ever say
And what my heart has heard, well it takes my breath away

I can hardly wait to hold you, feel my arms around you
How long I have waited
Waited just to love you, now that I have found you

You've got the
Look of love, it's on your face
A look that time can't erase
Be mine tonight, let this be just the start of so many nights like this
Let's take a lover's vow and then seal it with a kiss

I can hardly wait to hold you, feel my arms around you
How long I have waited
Waited just to love you, now that I have found you
Don't ever go
Don't ever go
I love you so

Eu...


Sou lua em vez de sol
Sou brisa em vez de mar
Sopro de vento
Sussurro
Sentimento
Sou a forma apagada de ser
Na mágoa que em mim se esconde
Sou a força
Que me sustenta
Sou desejo...
Sou tantas vezes o medo
Em vez do sonho
O brilho em vez de luz
...
Quero o calor e a fogueira
Quero o sonho e a melodia
Quero o suspiro e a loucura
Quero...

9.3.09

Flor de Jasmim


As flores de Jasmim são tubulares, com pétalas perfumadas, todas as espécies são maioritariamente brancas embora haja algumas flores amarelas ou rosadas.
São habitualmente arbustos ou lianas de folhas simples e compostas...estas plantas nativas do Velho Mundo.
Os rasgos do perfume de Jasmim ou “presente de Deus” no Persa antigo, simbolizam a mãe universal.
Entre as espécies mais populares de jasmim, destacam-se:
Jasmim-estrela
Jasmim-verdadeiro
Jasmim-dos-poetas
Jasmim é por si só uma palavra que inspira romantismo, procurei saber mais e encontrei vários escritos sobre esta simples, bela e perfumada planta.
Na China as folhas secas de jasmim são misturadas com chá e diz-se que a sua qualidade estimulante aquece o ventre e desperta os sentidos. As suas infusões são hoje muito usadas e apreciadas.
O seu aroma adocicado é ainda ocasionalmente usado em perfumaria.
Li algures que o óleo de jasmim produz uma olência poderosa, o seu odor adocicado, intenso mas discreto, penetra na atmosfera hipnotizando a líbido dos apaixonados. Por tudo isto, recomenda-se então jasmim por todo o lado... :)
Deixo ainda uma sugestão de chá de jasmim.

Ingredientes:
Jasmim
Mel
Jalpur (mistura de várias pimentas, cominhos, canela, cardamono, anis, piripiri e semente de coentros)
Ginseng
Crisântemo
Lima/ limão
Gengibre

Preparação:
Preparar uma infusão com todas as especiarias.

Retirado de uma receita do restaurante Afreudite.

8.3.09

Dia da Mulher


Sendo hoje o Dia da Mulher, não queria deixar de dizer algumas palavras...e não querendo de forma alguma ter um discurso femininista, até porque nem estou nada virada para ai, quero apenas dizer que me sinto unida a todas as mulheres na celebração deste dia... e penso apenas na força interior que tantas mulheres trazem consigo na luta constante e diária pelos seus direitos, esforços, pelos seus filhos, pelo seu trabalho, pelos seus sonhos, pela sua vida.
E na sua aparente fragilidade encontram sempre uma razão para seguir em frente.
Na sua complexidade emocional está presente a procura permanente da felicidade...
Na sua forma de amar, na entrega e dádiva ao próximo, revelam-se seres únicos, autênticos e de grande força espiritual.
Para todas as mulheres do mundo e inclusivamente para mim, formulo um desejo:
Tenham sempre a coragem de fazerem ouvir a vossa voz e de seguirem em frente com os vossos sonhos.
Um abraço

slow

Lembro-me de ouvir tanto esta música "in the 80s"...

5.3.09

La venus del espejo



Vénus olhando-se ao espelho ou La venus del espejo é uma pintura de Diego Velázquez que se encontra na National Gallery em Londres.
É obra de óleo sobre tela, de dimensões 1,22 m por 1,77 m, em que uma mulher de costas, deitada, admira a seu próprio rosto num espelho que se encontra nas mãos de um Cupido.
Sabe-se onde foi pintado, em Itália, mas nunca se descobriu a identidade da mulher no quadro.
Há duas hipóteses - ou se trata de uma pintora italiana que serviu de modelo a Velázquez na segunda vez que este passou por Roma, Lavinia Triunfi, ou da amante do pintor naquela cidade, de quem teve um filho.
O facto de o rosto da mulher, no espelho, não ter grande definição, só serve para aumentar o enigma. Trata-se ainda do único nu da autoria do pintor que terá sobrevivido até hoje, e do primeiro nu de toda a história da pintura espanhola.

1.3.09

Todas as Ruas do Amor - Flor-de-lis

Foi esta a canção que ganhou o Festival da Canção ontem à noite e vai representar Portugal em Moscovo, independentemente do que quer que seja, e de vir a ganhar ou não, eu adoro a letra e a música. Cantem comigo! Vá lá!



Se sou tinta
Tu és tela
Se sou chuva
És aguarela
Se sou sal
És branca areia
Se sou mar
És maré cheia
Se sou céu
És nuvem nele
Se sou estrela
És de encantar
Se sou noite
És luz para ela
Se sou dia
És o luar

Sou a voz
Do coração
Numa carta
Aberta ao mundo
Sou o espelho
D`emoção
Do teu olhar
Profundo
Sou um todo
Num instante
Corpo dado
Em jeito amante
Sou o tempo
Que não passa
Quando a saudade
Me abraça

Beija o mar
O vento e a lua
Sou um sol
Em neve nua
Em todas as ruas
Do amor
Serás meu
E eu serei tua

Intérprete: Flor-de-Lis
Letra da canção: Pedro Marques e Paulo Pereira

Qi-Cong


Conheci esta prática oriental, num sítio bafejado pelas maravilhas da natureza porque está inserido num local dir-se-á isolado com muitas árvores, flores, pássaros a cantar pela manhã e aquele cheiro maravilhoso a terra e verde... uns bungalows acolhedores e acima de tudo tem muita tranquilidade e talvez por isso se chame a Quinta da Calma, no Algarve- Almancil. Ali o tempo parece que pára para também nós pararmos e ouvir-mo-nos. E respirando aquela atmosfera de paz estava receptiva a conhecer o que quer que fosse relacionado com práticas orientais que visam a relação mente - corpo, energias biodinâmicas e por ai fora...
Numa tarde em que o sol já só corava com timidez todas as plantas daquele místico sítio, entrei numa sala e foquei-me numa senhora que se apresentava para muitas pessoas... outrora tinha sido enfermeira interessou-se por terapias alternativas e hoje faz disso a sua vida, naquela Quinta maravilhosa.
“O Qi-Cong é no fundo uma arte de equilibrar energia, é um conjunto de exercícios que associam o pensamento, o movimento e a respiração. Ao praticá-los com regularidade desenvolve-se um estado de concentração mental semelhante a uma meditação em movimento.
Daqui resultará um “estado de ser” que unifica e desperta em nós a sensação de um suave calor em circulação dentro do nosso corpo e que o envolve num revestimento de conforto e segurança.
O Qi-Cong permite-nos sentir, aumentar, reforçar e conduzir a energia nos pontos onde ela se revela necessária.”- Martine Migaud
Esta prática oriental está permanentemente em sintonia com técnicas de respiração e em posturas que fortalecem o corpo apartir do interior. A postura básica chama-se “abraçar a árvore” e todas as outras posturas estão relacionadas com a natureza ou com seres vivos que inspirem força e harmonia.
Diz-se ainda que o Qi-Cong constitui um extraordinário trunfo para nos mantermos de boa saúde e prolongarmos a vida. Um instrumento de transformação e de evolução pessoal e espiritual.