21.1.09

Ouvir o corpo



O corpo tem a sua própria linguagem e tem uma forma muitas vezes discreta de nos dizer que algo não está bem...
Pequenos sinais marcariam a diferença se lhes fossem dados a devida importância a tempo e horas, mas a realidade é que ignoramos frequentemente esta forma que o corpo tem de comunicar-nos o seu estado físico e emocional.
Quantas vezes negligenciamos um sinal de cansaço e continuamos arduamente a trabalhar, quantas vezes sentimos uma dor e não lhe querendo dar importância, preferimos tomar um analgésico a tentar perceber o porquê dessa dor...e quantas vezes sentimos dor de alma e calamos sem enfrentar o problema.

Luz Casanovas, A Memória Corporal diz “...o corpo molda-se a partir de uma carga genética, através de experiências, sentimentos, emoções, recordações e pensamentos. Guarda os seus segredos até os querermos decifrar e não se cansa de nos dar pistas na forma de sintomas, que é a sua maneira de falar.”

Dia após dia, o corpo retém as agressões que vai sofrendo desde o stress, o desgaste físico até uma má nutrição...a nossa desatenção aos sinais manifestados, desencadeiam em pouco tempo, situações de desiquilíbrio físico e emocional que poderiam ser evitados se a pouco e pouco fossemos dando hipótese a esta forma de linguagem que requer alguma sabedoria e coragem – ouvirmos o nosso próprio corpo!

2 comentários:

  1. Nesse aspecto, o corpo é o nosso melhor amigo. Diz-nos sempre tudo. Pára, quando estamos a andar demasiado rápido. Mostra-nos onde está a dor, e qual a emoção associada a ela.
    Grande texto, Andy!

    ResponderEliminar
  2. Nao posso deixar de fazer minhas as palavras da Lita!...
    Tudo está interligado, tudo é uma coisa e outra: físico, mental e espiritual... se um desequilíbrio existe num deles... tudo falhará...
    Beijinho :)

    ResponderEliminar

neblina

o rasto de fumo apagava-se na porta entreaberta e ficava o silêncio da noite e uma ou outra palavra por dizer. O cheiro do cigarro apagado e...