27.1.09

Noite



Ansiosamente à espera
Do silêncio da noite
Daquela serenidade
Que abafa o cansaço
E que faz esquecer a dor
Dor do corpo que sente...
Alma que dá ao corpo
Forma de gente...
Noite que embala
... que sossega
... apazigua
acalma...
Nesses contornos sombrios
Nesses desfolhados
sentidos
e ainda sentir
que amanha
tudo pode ainda existir...

2 comentários:

  1. a esperança vive tão forte quando o sol se põe...

    ResponderEliminar
  2. Perdida na noite,
    ansiosamente à espera
    que a dor atenue
    que os sons agrestes do peito
    se apaziguem
    e permitam reconstruir
    tudo o que senti ser arrancado,
    enquanto me questiono
    com o que é que fiz
    com o que me foi dado?
    Respiro
    e aguardo
    ainda em silêncio
    que a noite acabe.

    Hoje era eu que precisava ansiosamente da tua mão!!!!

    ResponderEliminar

neblina

o rasto de fumo apagava-se na porta entreaberta e ficava o silêncio da noite e uma ou outra palavra por dizer. O cheiro do cigarro apagado e...